Giro

Distanciamento social desacelera contágio de coronavírus em Nova York

Distanciamento social desacelera contágio de coronavírus em Nova York

World Trade Center ao fundo de uma Sétima Avenida em Nova York, no dia 25 de março de 2020 - AFP


A quarentena e distanciamento social estão diminuindo a taxa de contágio pelo coronavírus em Nova York, epicentro da pandemia nos Estados Unidos, disse o governador Andrew Cuomo na quarta-feira.

Cuomo disse que as projeções de pacientes hospitalizados pelo vírus estão aumentando em ritmo mais lento do que o previsto, devido às rigorosas medidas adotadas no estado, que fechou escolas e empresas não essenciais e proibiu as reuniões de qualquer número de pessoas.

“No domingo, a projeção era que as internações dobrassem a cada dois dias. Na terça-feira, as projeções sugeriam que as internações dobrem a cada 4,7 dias. É quase bom demais para acreditar”, disse Cuomo em entrevista coletiva.

“As flechas apontam na direção certa”, embora o número de casos continue aumentando, afirmou.

Existem mais de 30.000 casos no estado de Nova York – quase 18.000 na cidade de Nova York, com 285 mortes.

Cuomo disse que Nova York precisará 30.000 respiradores no pico da pandemia, que deverão chegar à Big Apple em 21 dias.

O estado já possuía 4.000 respiradores, conseguiu comprar outros 7.000, recebeu 4.000 a mais do governo federal e ainda falta 15.000 para atender cerca de 140.000 pacientes com coronavírus no ápice da pandemia, calculou Cuomo.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que a cidade ficará sem equipamento médico suficiente para cuidar dos doentes neste final da semana. Cuomo, entretanto, garantiu que os atuais recursos vão durar por mais de 15 dias.

“Agora, e em um futuro próximo, temos suprimento. Ainda não garantimos o suprimento por três semanas, daqui a quatro semanas, cinco semanas. Mas continuamos comprando”, disse o governador.

Cuomo pediu ao presidente Donald Trump que organize uma distribuição de equipamentos que priorize os estados mais afetados.

Ele disse que Nova York, como centro do surto, agora pode receber a maioria dos equipamentos disponíveis e transferi-los para outros estados à medida que os epicentros do vírus mudem.

“Envie-nos o equipamento de que precisamos. Envie-nos equipes médicas. Assim que superarmos nosso momento crítico, redistribuiremos o equipamento e o pessoal no próximo epicentro. Eu pessoalmente garanto isso”, disse Cuomo.