Tecnologia

Dispositivos móveis superam PCs em navegação na internet

Crédito: Divulgação

O ano de 2019 marcou a virada dos dispositivos móveis e a tendência de queda no uso dos computadores tende a seguir daqui pra frente (Crédito: Divulgação)

Um estudo realizado pelo SimilarWeb, portal de análise de dados na internet, indicou que 2019 foi o ano da virada para os dispositivos móveis frente a dominação dos PCs na utilização da internet.

O estudo “2020 State of Digital Report” monitorou a rede global de computadores e dispositivos móveis entre janeiro de 2017 e dezembro 2019. A análise apontou que no ano passado, os dispositivos móveis foram responsáveis por 116 bilhões de visualizações, contra 107 bilhões registradas em computadores, um salto de 18% na comparação com 2018.



+ CCJ aprova aumento da pena para quem matar no trânsito e estiver usando celular
+ Sisu: 66% dos acessos foram feitos por celulares ou tablets
+ Especialistas da ONU querem saber se celular de CEO da Amazon foi hackeado pela Arábia Saudita

 

Reprodução/SimilarWeb

A queda nos PCs entre 2018 e 2019 foi de menos de 1%, mas a projeção para 2020 segue negativa para os desktops. Enquanto isso, a rede móvel deve ultrapassar os 120 bilhões de acessos este ano.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!


No relatório, o SimilarWeb ressaltou que “à medida que o mobile se torna mais acessível a todos, não é de se surpreender que o tráfego móvel esteja aumentando. A magnitude do crescimento, no entanto, é espantosa: enquanto o tráfego de computadores desktop diminui lentamente, uma queda de 3,3% desde 2017, os dispositivos móveis aumentaram 30,6% no mesmo período”.

Há, no entanto, um dado negativo no fenômeno: o tempo gasto em cada página no mobile é menor que nos computadores.


Enquanto o período de navegação dos usuários nos sites por meio de notebooks e computadores foi de 1.009 segundos (16 minutos) em 2019, o mobile ficou apenas 432 segundos (7,2 minutos) em média.

E o tempo médio só cai conforme o tempo passa. Em 2017 foram 443 segundos e 439 segundos no ano seguinte.