Negócios

Disney anuncia preço de seu pacote de streaming e diminuição do orçamento da Fox

A Disney anunciou um pacote de assinatura de streaming que inclui o Disney+, Hulu e Espn+ com o mesmo preço do plano básico da Netflix nos Estados Unidos

Disney anuncia preço de seu pacote de streaming e diminuição do orçamento da Fox

Visionários: há 19 anos, um espisódio de “Os Simpsons”, da Fox, fez piada sobre a aquisição da empresa pela Disney

A Disney hoje pode ser o maior conglomerado de entretenimento do planeta, porém seus resultados no terceiro trimestre fiscal de 2019 mostraram uma queda de lucro líquido que ligou sinal de alerta na empresa. Para rebater os maus números, a empresa anunciou no final da última terça-feira (6) novidades de seu serviço de streaming, o Disney+, e informações sobre como irá lidar com o recém adquirido estúdio 20th Century Fox.

Sobre seu esperado serviço de streaming, a Disney já havia anunciado que em seu lançamento iria custar US$ 7 por mês, mais barato que a concorrência. Mas diante de seus outros produtos em mãos, a empresa do Mickey anunciou nesta semana que irá lançar também um pacote de assinatura que incluiu além do Disney+, os já consagrados serviços on demand Hulu e Espn+. A oferta estará disponível para clientes a partir do dia 12 de novembro e custará US$ 12,99 ao mês.

O preço parece não ter sido escolhido por acaso: é exatamente o mesmo custo do plano básico da Netflix nos Estados Unidos, que recentemente subiu para US$13. Porém a Disney joga com a vantagem de oferecer três assinaturas, incluindo uma que transmite esportes ao vivo. Ainda não foi divulgado se o pacote também será oferecido em outros países.

Disney e a 20th Century Fox

Uma dos principais ativos adquiridos pela Disney na compra da Fox sem dúvida foi o estúdio 20th Century Fox e todo o seu catálogo. Porém ao que parece, os planos da Disney para a histórica produtora é deixá-la no passado.

Após a Disney anunciar que o estúdio teve perdas de US$ 170 milhões no terceiro trimestre operacional de 2019, Bob Iger, CEO da empresa, disse que os resultados fizeram com que a Disney diminuísse o orçamento dedicado as produções e o número total de filmes feitos pelo estúdio. O baixo desempenho foi puxado por X-Men Fenix Negra, produção que custou cerca de US$ 200 milhões – sem contar custos de marketing e distribuição – e arrecadou apenas US$ 252 milhões.

Apesar da decisão tomada pela Disney, a companhia afirma que projetos como as sequências de Avatar e novos filmes de Planeta dos Macacos continuam em desenvolvimento.