Economia

Dirigente do Fed defende alta de juros a um nível neutro até fim do ano nos EUA



O presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em Chicago, Charles Evans, defendeu nesta quarta-feira, 18, que a instituição deve subir os juros a um nível neutro até o final este ano. Em entrevista à Bloomberg TV, o dirigente afirmou que a política monetária “provavelmente” terá que se mover uma configuração restritiva para conter a recente escalada inflacionária nos Estados Unidos.

Evans ressaltou que, diante da solidez do mercado de trabalho americano, o controle da inflação é a prioridade do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) neste momento.

Ele se disse “extremamente confiante” de que será possível desacelerar o movimento dos preços, embora reconheça incertezas no horizonte.

Para o dirigente, em breve, os empresários terão dificuldades para repassar o aumento dos custos aos consumidores.



Na visão dele, o processo de aperto monetário deve levar a um “esfriamento” da maior economia do planeta, mas o Produto Interno Bruto (PIB) ainda deve manter ritmo de crescimento. A expectativa dele é de que a redução do balanço de ativos tenha efeito restritivo nos mercados financeiros.