Ciência

Dinamarca se torna o primeiro país da UE a autorizar a pílula anticovid da MSD

Crédito: AFP

Medicamento anticovid: pioneirismo nórdico (Crédito: AFP)

A Dinamarca se tornou nesta quinta-feira (16) o primeiro país da União Europeia a autorizar o tratamento com o antiviral molnupiravir, do laboratório americano MSD, para pacientes em risco com sintomas

O medicamento em forma de pílula, comercializado sob o nome Lagevrio, foi aprovado em novembro pela agência reguladora da UE para uso emergencial e, posteriormente, foi formalmente autorizado para comercialização.



+França limita viagens com o Reino Unido por variante ômicron

O Lagevrio está aprovado desde novembro no Reino Unido e está em processo de aprovação nos Estados Unidos. Seus resultados, abaixo do esperado, levaram os países a aguardar.

“Recomendamos o tratamento com a pílula porque acreditamos que os benefícios superam os danos para os pacientes que estão em maior risco de adoecer gravemente devido à covid-19”, disse a responsável da Agência Nacional de Saúde (SST), Kirstine Moll Harboe, em um comunicado.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!


A Dinamarca está enfrentando uma onda recorde de casos de covid-19 e um surto da nova variante ômicron, que deve se tornar a dominante em Copenhague esta semana.

O número diário de novos casos foi de 8.770 na quarta-feira, o maior número já registrado neste país de 5,8 milhões de habitantes.