Artigos

Diferentes regras anticovid confundem moradores de cidade na fronteira Inglaterra-Gales

Diferentes regras anticovid confundem moradores de cidade na fronteira Inglaterra-Gales

Duas pessoas atravessam a fronteira entre Inglaterra e País de Gales - AFP

Se não fosse por uma placa, a fronteira entre Inglaterra e Gales seria imperceptível em Knighton, localidade britânica situada entre os dois países. Mas o coronavírus e as diferentes regras de combate à doença em cada região mudaram a situação.

“Antes não tinha importância”, afirmou à AFP Nick Johns, prefeito da localidade de 3.000 habitantes, localizada a 260 km de Londres e a 130 km de Cardiff, a capital galesa.

O centro da cidade fica do lado galês, que retomou o confinamento nesta sexta-feira. Do outro lado do rio Teme, ficam a estação de trem e algumas casas, cujos moradores ainda podem circular livremente.

Deslocamentos, abertura do comércio, uso de máscara: com a pandemia, as regras evoluem de maneira diferente em cada lado de Knighton.

Durante o confinamento da primavera (hemisfério norte), “tínhamos que nos encontrar com as pessoas que vinham nos visitar no estacionamento da estação”, do lado inglês, recorda Johns.

“Era uma loucura, as pessoas tinham medo de vir a Gales, onde as restrições eram mais estritas”, completou.

No Reino Unido, país mais afetado da Europa, com mais de 44.000 mortos, o governo de cada uma das quatro nações estabelece as políticas de saúde.

“As regras em Gales são diferentes das regras na Escócia, que são diferentes das regras na Inglaterra e na Irlanda do Norte. É um pouco parecido com um campo minado”, afirma o prefeito.

Os comerciantes tentam aplicar as regras ao pé da letra, diante de clientes confusos.

“O Reino Unido deveria ser o reino unido”, declara Chris Branford, gerente do salão de chá de Knighton, enquanto verifica a temperatura dos clientes na entrada.

Ian Ross, que organiza cursos de direção de carros de rali na vizinha Worcestershire, considera que “as regras não são tão claras como deveriam”.

“Especialmente para mim, que tenho base em Gales, mas trabalho na Inglaterra”, lamenta.

– “Um pouco de revolta” –

Desde a semana passada, Gales proíbe a entrada de pessoas procedentes das áreas mais afetadas da Inglaterra, uma norma considerada “inaplicável” pelo organismo britânico que representa os agentes de polícia.

A partir das 18h (14h de Brasília) desta sexta-feira, esta província de três milhões de habitantes retomará o confinamento durante 17 dias por decisão do governo galês.

“Vamos ter que aceitar, não temos outra opção”, disse o prefeito, que confia na resiliência dos estabelecimentos locais – nenhum faliu durante o primeiro confinamento.

Em Knighton, porém, pouco afetada pelo vírus, “há um pouco de revolta” por termos que aceitar as mesmas regras que cidades como Cardiff, ou Swansea, afirma.

“É difícil, obviamente, estar na fronteira, tão perto da Inglaterra”, lamenta Holly Adams-Evan em seu “pub”.

Nas paredes, cartazes recordam os clientes sobre o distanciamento que deve ser respeitado no local: o tamanho equivalente ao de uma vaca.

“Esperamos que tudo fique bem”, afirma a jovem, que, com o companheiro Craig Small, conseguiu manter até o momento os seis funcionários de seu “pub”.

Após meses de fechamento e graças aos incentivos financeiros do governo, eles conseguiram uma boa recuperação em agosto. Com o novo confinamento, porém, o casal teme que os clientes acabem se acostumando a frequentar os “pubs” do lado inglês.

Nesse cenário de incerteza, eles podem contar com a fidelidade de Douglas Rumble, um septuagenário que afirma frequentar o local “oito dias por semana”.

“Qual o sentido de se comportar como quatro países diferentes? Somos um país!”, completa, sobre as regras divergentes.

“Vivemos em uma ilha e devemos agir como um, e não como quatro povos diferentes”, conclui.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?