Giro

Diante de uma nova onda de covid-19 nos EUA, mais republicanos promovem a vacinação

Diante de uma nova onda de covid-19 nos EUA, mais republicanos promovem a vacinação

Membros do Grupo de Médicos do Partido Republicano da Câmara enfatizaram que as vacinas são seguras e eficazes - GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP

O novo aumento nos casos de covid-19 nos Estados Unidos, devido à variante Delta do vírus, leva mais funcionários e legisladores republicanos à promoverem a vacinação.

As taxas de hospitalização e mortes por coronavírus estão aumentando em todo o país e a grande maioria das novas fatalidades e casos graves acontecem em pessoas não vacinados.

As imunizações se tornaram a nova linha de batalha política do coronavírus.

Durante meses, setores conservadores mostraram desconfiança em medidas de saúde, – como o uso de máscaras, distanciamento social ou confinamentos – as quais consideram uma perda de liberdade.



Houve protestos contra a vacinação em New Hampshire, Califórnia e em outros lugares, apesar do próprio ex-presidente republicano Donald Trump assumir o crédito por iniciar a operação para desenvolver e distribuir as vacinas em tempo recorde.

Mas, diante de uma nova onda da pandemia, em meio ao ceticismo obstinado sobre a vacina em estados como Arkansas, Flórida e Missouri, os líderes republicanos estão reconsiderando sua postura.

Na quinta-feira, o número dois da Câmara dos Deputados, Steve Scalise, se juntou ao Grupo de Médicos do Partido Republicano, um grupo de 18 legisladores que são especialistas médicos certificados, para encorajar os americanos a “serem vacinados”.

Scalise hesitou durante meses em ser vacinado, mas o fez esta semana argumentando que, com a variante Delta, ele queria “esse nível extra de proteção”.

Mariannette Miller-Meeks, parte do Grupo de Médicos, também pediu às pessoas que se vacinassem.

“Não há nenhum médico aqui que não queira que as pessoas sejam vacinadas”, acrescentou o congressista Greg Murphy sobre seus colegas de bancada.

Seus comentários seguiram os de republicanos de alto nível, como o líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, que pediu que as pessoas ignorem os “conselhos grosseiramente ruins” que circularam durante a pandemia.

Esses conselhos, que muitas vezes se baseiam na premissa de que as vacinas só foram aprovadas para uso em emergências, ou em alegações infundadas de que as vacinas incluem microchips para rastrear cidadãos, levaram milhões de pessoas a não serem vacinadas.

Muitos governadores republicanos – incluindo alguns que expressaram oposição aos esforços federais contra a pandemia – agora estão pedindo aos residentes que sejam vacinados.

Em Arkansas, um dos estados com mais novos casos de covid-19, o governador Asa Hutchinson fez um discurso defendendo que “a vacina mantém as pessoas vivas”.

Até mesmo alguns comentaristas conservadores da TV modificaram sua retórica, como aconteceu na Fox, a rede de TV a cabo com maior audiência.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago