Negócios

Diagnóstico de R$ 1 bilhão do Grupo Fleury

Crédito: Felipe Gabriel

Uma das maiores redes de medicina diagnóstica do País, com receita de R$ 3,2 bilhões no ano passado, o Grupo Fleury está empenhada em não deixar que a Dasa – com faturamento de R$ 5,2 bilhões em 2020 e dona de marcas como Delboni Auriemo e Alta – amplie a distância na liderança.

Na terça-feira (1º), a companhia oficializou a compra de duas tradicionais marcas de medicina diagnóstica no Espírito Santo: os laboratórios Bioclínico e Pretti.

As duas aquisições marcam a entrada da companhia no mercado capixaba e representam mais um movimento estratégico, expandindo sua capilaridade nacional e complementando ainda mais sua oferta no Sudeste do País. Com estas duas aquisições, o Fleury superou a marca de R$ 1 bilhão investidos em aquisições nos últimos cinco anos, período em que adquiriu 12 empresas que, juntas, geram mais de R$ 500 milhões em receitas por ano.

Em paralelo à estratégia de compra de concorrentes, o grupo aposta no avanço de suas ferramentas digitais e no formato Netflix de assinatura. Segundo Jeane Tsutsui, CEO da companhia desde maio, um novo serviço de assinatura, chamado de Saúde iD e mensalidade de R$ 29,90 a R$ 59,90, é a grande aposta para ampliar a base de consumidores. “Com foco na telemedicina e nos cuidados preventivos, vamos expandir nossos negócios e atrair o cliente que não possui plano de saúde ou que busca complementar a cobertura de seu convênio”, disse a executiva.

(Nota publicada na edição 1225 da Revista Dinheiro)