Política

Dez procuradores fazem debate em São Paulo, de olho na lista tríplice para PGR


Os candidatos à lista tríplice para procurador-geral da República debatem nesta terça-feira, 4, no Ministério Público Federal em São Paulo. O encontro deve durar cerca de 3 horas e será transmitido pela TV MPF e TV ANPR.

Cabe ao presidente da República escolher o chefe do Ministério Público Federal, conforme prevê a Constituição. Ele não é obrigado a indicar nenhum nome da lista da Associação.

A tradição de formação da lista tríplice iniciou-se em 2001. Daquele ano até agora, o vencedor da lista tríplice para o cargo de Procurador-Geral da República não foi acolhido apenas em sua primeira edição e, mais recentemente, em 2017, quando o então presidente Michel Temer escolheu Raquel Dodge.

Atual mandatária da instituição, Raquel ficou em segundo lugar no disputado pleito interno da categoria. Agora, ela não se inscreveu para concorrer na eleição promovida pela Associação dos Procuradores, o que não quer dizer que não pretende a recondução, pela “via direta” do Palácio do Planalto.

Todos os candidatos que registraram seus nomes para concorrer à lista tríplice confirmaram presença no debate promovido pela Associação Nacional dos Procuradores da República, que organiza também a eleição.

São eles: o ex-presidente da ANPR José Robalinho Cavalcanti, os procuradores regionais Lauro Cardoso – paraquedista do Exército e secretário-geral do Ministério Público da União -, Vladimir Aras e Blal Dalloul -secretário-geral na gestão Rodrigo Janot, o ex-vice da gestão Janot, José Bonifácio da Andrada, os subprocuradores-gerais Luiza Cristina Frischeisen, Mário Luiz Bonsaglia, Paulo Eduardo Bueno, Antonio Carlos Fonseca Silva e Nívio de Freitas.

Os procuradores já participaram de dois debates, um em Belém e outro no Recife. Após o segundo encontro, no Recife, o presidente da ANPR, Fábio George Cruz da Nóbrega, ressaltou que a lista é uma conquista da sociedade, na medida em que permite que ela conheça e questione os candidatos.

“A lista tríplice é garantia de independência e autonomia dessa instituição, na medida em que permitem que os candidatos debatam, olho no olho, debatam nas cinco regiões trazendo projeto, propostas e ideias”, afirmou.

“Ninguém comanda uma instituição como essa sem representatividade, liderança, sem se colocar numa posição horizontal de debate com todos aqueles que compõem e constituem essa casa.”

Os debates serão promovidos ainda no Rio nesta quarta, 5. Haverá mais dois encontros, em Porto Alegre, no dia 11, e Brasília, no dia 14.

A eleição está marcada para o dia 18 de junho.