Investidores

Dez ações para o segundo semestre

A volatilidade das cotações e a alta dos juros tornaram o pregão da B3 um terreno inóspito. Porém, os analistas ainda conseguem encontrar bons negócios. Saiba quais.

Crédito: Istock

Investir no mercado de ações não tem sido uma tarefa fácil. No ano, até a terça-feira (21), o Ibovespa recuou 4%. E a renda fixa está mais atrativa, principalmente depois de o Banco Central (BC) ter elevado a taxa Selic para 13,25% ao ano e não descartar a hipótese de novas altas. Isso parece tornar a renda variável um mau negócio. No entanto, DINHEIRO conversou com analistas que indicaram, cada um, dez ações que podem render mais que a Selic no segundo semestre. Não será um caminho suave. Nem popular. “O cenário não é promissor, mas é possível ter bons resultados”, disse Pedro Galdi, analista da Mirae Asset.

As preferidas pelos analistas não são os papéis mais negociados. A ação com maior potencial de alta é a Embraer. Segundo Galdi, o potencial é de avanço de 95,2%. Em seguida vêm as ações da Lojas Renner, principal empresa de varejo segmentado do pregão. Na avaliação dos analistas da Terra Investimentos Eliz Sapucaia e Régis Chinchila, a empresa está sendo negociada a preços atrativos e deve se beneficiar de um cenário de recuperação da economia com uma demanda reprimida no setor de vestuário. “Esperamos melhoria nas margens e crescimento nas plataformas digitais ao longo de 2022”, disse Eliz. O preço-alvo estipulado para o papel é de R$ 44, uma alta de 90,4% na comparação com o fechamento da terça-feira (21).

Outra companhia indicada é a empresa de motores e bens de capital Weg. Suas ações prometem ser beneficiadas pela depreciação recente do real em relação ao dólar. “E ela parece estar bem-posicionada para aproveitar a aceleração do plano de transição energética da União Europeia (UE), que pretende diminuir sua dependência do petróleo e do gás importados pela Rússia”, disseram os analistas. As atividades internacionais da Weg incluem geração, transmissão e distribuição de energia e também na produção de equipamentos industriais eletroeletrônicos. A estimativa é um preço-alvo de R$ 47, uma alta potencial de 85,7%.

CARNE E MINÉRIO As commodities prometem bons resultados ao investidor devido tanto à alta internacional das cotações quanto ao real depreciado. No setor de proteína animal, a preferida é a Marfrig, que está sendo negociada com desconto. A estimativa dos analistas ouvidos por DINHEIRO é uma alta de 58,6%, com preço-alvo de R$ 20.

Thiago Bernardes

“O cenário não é promissor, mas é possível ter bons resultados. No entanto, se o indivíduo for alguém que teme grandes riscos, o melhor é ficar na renda fixa” Pedro Galdi analista da Mirae Asset.

Uma das únicas blue chips na lista é a Vale, empresa mais negociada do pregão. O motivo para o otimismo dos analistas é o mesmo que causa o entusiasmo com as ações da Marfrig. “Acreditamos em recuperação para o segundo semestre, com ajuda do dólar nas exportações”, disse Galdi. Os profissionais do mercado disseram esperar que a empresa continue apresentando resultados operacionais fortes, principalmente em meio a guerra entre Rússia e Ucrânia, que deve pressionar a demanda por minério e metais.

No entanto, há um risco. A China, principal consumidor do insumo, ainda está analisando medidas de estímulo econômico que devem sustentar aumento da demanda. Enquanto Pequim não bater o martelo, as cotações do minério de ferro devem seguir voláteis, disseram os analistas. Desse modo, os analistas da Terra calculam um preço-alvo de R$ 115 para a Vale, alta de 51,3%. Já Galdi é um pouco mais conservador e estima que a ação pode subir 37,5% e chegar na casa dos R$ 104,53.

O mesmo raciocínio se aplica à Gerdau. A siderúrgica deve apresentar recuperação nas suas margens de lucro nas atividades brasileiras e americanas, pois a alta das cotações do minério deverá permitir reajustes nos preços de seus produtos ao longo da cadeia produtiva. “Os múltiplos continuam interessantes”, disse Galdi. Também é possível encontrar boas oportunidades no setor de eletricidade, pois as tarifas permanecerão elevadas.

Para os analistas ouvidos por DINHEIRO, há várias oportunidades no pregão. No entanto, é bom adotar uma abordagem cautelosa. Além das incertezas globais, há a incógnita das eleições. E sempre é bom lembrar que preço-alvo é uma expectativa, não uma garantia. “Se o indivíduo for alguém conservador e que teme grandes riscos, o melhor é ficar na renda fixa”, disse Galdi.