Ciência

Dexametasona reduz risco de morte em pacientes com covid-19, diz Universidade de Oxford

Crédito: Reprodução/ONU

O medicamento também é considerado barato. Em média, são 35 libras (R$ 226 no câmbio de hoje) por pessoa tratada (Crédito: Reprodução/ONU)

O Reino Unido informou sobre o resultado parcial de um estudo com o medicamento dexametasona para pacientes de alto risco com a covid-19, doença provocada pelo coronavírus. E os dados são animadores. No grupo pesquisado, houve redução do risco de morte para aqueles que foram tratados com a droga.

O medicamento também é considerado barato. Em média, são 35 libras (R$ 226 no câmbio de hoje) por pessoa tratada. E uma das ideias, caso seja comprovado pelos padrões científicos que é realmente efetivo no combate à doença, é estimular o uso em países mais pobres.

+ Corticoide reduz em um terço mortalidade entre pacientes mais graves de COVID-19
+ UFRJ diz que só retoma aula presencial em 2020 com vacina ou remédio contra covid 

São considerados pacientes de alto risco aqueles que necessitam da utilização de oxigênio ou de ventilação mecânica quando estão hospitalizados com a covid-19. É justamente para este grupo que o estudo apontou resultados benéficos significativo, segundo a BBC.

Segundo a Universidade de Oxford, que lidera o estudo, aproximadamente 2.000 pacientes hospitalizados receberam dexametasona. O pesquisadores compararam a evolução desses doentes a outros 4.000 que não receberam a droga.

Foi registrada uma redução do risco de morte de 40% para 28% em pacientes que estavam sendo tradados com ventilação mecânica. No caso daqueles que necessitavam de oxigênio, a queda da chance óbito passou de 25% para 20%.

Atualmente, a dexametasona é utilizada para reduzir inflação. Em pacientes com coronavírus, há indícios de que o medicamento interrompa algumas reações prejudiciais que podem ocorrer quando o sistema imunológico corpo humano combate o vírus.

Porém, o estudo não constatou eficácia do medicamento para pacientes leves da covid-19

 

Veja também

+ Funcionário do Burger King é morto por causa de demora em pedido

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Bolsonaro veta indenização a profissionais de saúde incapacitados pela covid-19

+ Nascidos em maio recebem a 4ª parcela do auxílio na quarta-feira (05)

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?