Gestão e Carreiras

Desigualdade: Citigroup diz que paga a homens 29% a mais do que a mulheres

O relatório foi encomendado pelo banco para descobrir a situação de igualdade salarial de seus funcionários. Ele mostrou que mulheres ganham 71% do que ganham os homens em média

Desigualdade: Citigroup diz que paga a homens 29% a mais do que a mulheres

Logo do Citibank, banco do gigante americano Citigroup, em 23 de junho de 2008 - AFP/Arquivos

Em uma pesquisa interna, o Citigroup revelou que seus funcionários homens recebem 29% a mais do que funcionárias mulheres globalmente. O relatório foi encomendado pelo banco, que é um dos maiores do mundo, e trouxe outras informações sobre desigualdade salarial que podem não agradar os altos escalões da empresa.

Em 2018, o Citi viu uma fuga de banqueiros negros de seus postos de trabalho. A explicação para o fenômeno pode ser vista no resultado do relatório: minorias recebem 7% a menos do que funcionários que não são minorias.

“Isso reitera a importância de nossas metas para aumentar a representatividade de mulheres e minorias em cargos de liderança e de alta remuneração no Citi. Sabemos que precisamos de uma abordagem compreensiva para atingir o progresso desejado”, disse Sara Wetcher, chefe de recursos humano do Citi, no blog da empresa.

Uma das primeiras medidas contra a desigualdade salarial que o Citigroup vai tomar para aumentar a diversidade na empresa é colocar pelo menos 40% de mulheres e 8% de negros em cargos de diretoria até o final de 2021. E todos eles receberão o mesmo que seus iguais da mesma posição.