Economia

Desemprego nos EUA pode chegar a 25%, maior taxa em 87 anos

Crédito: AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fala durante evento no Rose Garden da Casa Branca, em Washington DC, em 7 de maio de 2020 - (Crédito: AFP)

O banco Goldman Sachs projeta que a taxa de desemprego nos Estados Unidos terá um pico de 25%, se aproximando do registrado no período da “grande depressão” de 1929.

Neste período de quarentena, com os EUA liderando o número de infectados e mortos em todo o mundo, a taxa de desemprego subiu para 14,7% em abril, com mais de 20 milhões de empregos cortados. A previsão anterior do banco era que o pico ficaria em torno de 15%, o que precisou ser revisto com os novos dados de abril.

+ Danos do coronavírus à economia dos EUA podem ser ‘duradouros’, diz Fed
+ Especialista alerta para desconfinamento nos EUA; países retomam normalidade

O dado atual é o maior já registrado nos EUA, desde que o governo norte-americano começou a coletar este tipo de informação, em 1948. Ainda assim, dados anuais anteriores indicam que em 1933 – quando a economia global estava colapsada – o desemprego atingiu um pico de 24,9%.

Segundo a CNN, economistas acreditam que leve até uma década para que os níveis pré-coronavírus voltem a ser uma realidade nos EUA. E tudo isso acontece enquanto o governo Donald Trump quebra a cabeça para decidir se a retomada das atividades se dará agora, ou se o período de quarentena seguirá por mais algum tempo.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança