Giro

Descobertas em Pompeia remontam típica vida da classe média



Por Valentina Za

MILÃO (Reuters) – Arqueólogos descobriram quatro novos cômodos em uma casa em Pompeia cheia de pratos, ânforas e outros objetos do cotidiano, dando um retrato da vida da classe média no momento em que a erupção do Monte Vesúvio soterrou a cidade romana em 79 d.C..

Os restos de tigelas, um baú esvaziado às pressas, uma cama e um queimador de incenso de terracota em forma de berço foram encontrados em dois andares de um prédio anteriormente escavado, disse a autoridade do parque arqueológico de Pompeia neste sábado.

Alguns eram mais valiosos do que outros – vasos feitos de bronze ou vidro ao lado de ferramentas cotidianas.




“Uma grande fatia da população do Império Romano era composta por pessoas que suavam pelo pão de cada dia, mas também estavam ansiosas para elevar seu status social”, disse o diretor do parque, Gabriel Zuchtriegel.

Arqueólogos usaram moldes de gesso para reproduzir alguns dos objetos do sítio arqueológico em Pompeia, uma das principais atrações turísticas da Itália, perto da cidade de Nápoles.

O restante da estrutura, escavada em 2018, inclui um pátio decorado com afrescos de plantas, pássaros e cenas de caça. Um nicho que hospeda os deuses guardiões da casa, ou Lares, deu nome à “Casa Larario”, como é conhecida popularmente.