Descarte de vidro ganha um aliado

Descarte de vidro ganha um aliado

Embora produzido com elementos naturais, como a sílica, presente na areia das praias, o vidro leva quatro mil anos para se decompor e até um milhão para ser totalmente absorvido pela natureza. No Brasil, o descarte de embalagens de vidro pós-consumo é de aproximadamente 1,2 milhão tonelada por ano, estima a Associação Brasileira das Indústrias de Vidro (Abividro). Disso, 550 mil toneladas acabam parando em aterros sanitários. “O vidro é reciclável, mas tem baixo valor agregado”, diz Rodrigo Jobim, sócio-fundador da Molécoola. “A indústria recicladora paga em torno de R$ 0,20 por quilograma (kg), o que é praticamente o custo com a logística.” Para mudar esse cenário, a fabricante de embalagens de vidro Owens Illinois firmou uma parceria com o Instituto Ecozinha – iniciativa privada que conta com 46 associados, entre bares, restaurantes e hotéis – para desenvolver o gerenciamento de resíduos, permitindo com que os estabelecimentos com alto nível de descarte se adequem à Lei dos Grandes Geradores de Lixo. Localizado no Distrito Federal (DF), o Ecozinha disponibiliza bunkers com capacidade de até 800 kg para acomodar embalagens de vidro, sempre em locais próximos aos estabelecimentos parceiros.

(Nota publicada na Edição 1100 da Revista Dinheiro)

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.