Giro

Derretimento global do gelo acelerando em taxa recorde

Derretimento global do gelo acelerando em taxa recorde

As descobertas feitas por pesquisadores do Reino Unido são uma das primeiras análises abrangentes de toda a perda global de gelo.

A taxa anual de derretimento do gelo global acelerou rapidamente e parece estar em linha com os piores cenários previstos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), mostraram novas descobertas.

As descobertas feitas por pesquisadores do Reino Unido foram revisadas por pares e publicadas na revista The Cryosphere da European Geosciences Union, são uma das primeiras análises abrangentes de toda a perda global de gelo.

+ Mundo caminha para aquecimento ‘catastrófico’ no século XXI, diz secretário-geral da ONU
+ Estrelas do mar estão se afogando com o aquecimento dos Oceanos

Excluindo o pergelissolo e a queda de neve de inverno na terra, a pesquisa cobriu todo o gelo do planeta – 215 mil geleiras de montanhas em todo o planeta, as calotas polares, mantos de gelo na Groenlândia e na Antártica, plataformas de gelo no Ártico e na Antártica, bem como gelo marinho nas regiões polares.



Com base em dados de satélite e in situ, as descobertas mostraram que o degelo em todo o mundo cresceu de 0,8 trilhão de toneladas na década de 1990 para 1,3 trilhão de toneladas em 2017, cobrindo um período que incluiu os 20 anos mais quentes já registrados, bem como temperaturas médias em constante aumento a cada ano e década.

Também revelou que a Terra perdeu 28 trilhões de toneladas de gelo entre 1994 e 2017 – o equivalente a uma camada de gelo de 100 metros de espessura cobrindo todo o Reino Unido.

Ao longo das quatro décadas estudadas, a perda de gelo se acelerou a uma taxa de 57 por cento. Metade de todo o gelo foi perdido da terra, e acredita-se que o derretimento do gelo já tenha elevado o nível do mar em 3,5 cm.

As projeções atuais do IPCC afirmam que o aumento do nível do mar neste século pode ser limitado a 26-55 cm se as emissões forem reduzidas drasticamente e as temperaturas globais aumentarem em menos de 1,5 C desde os tempos pré-industriais. Mas se as emissões permanecerem altas e as temperaturas excederem 2 graus Celsius de elevação, espera-se que o nível do mar suba 52-98 cm.

Desde então, vários estudos indicaram que as estimativas de pior caso do IPCC ainda são muito conservadoras. As projeções do IPCC para os graus de elevação do nível do mar são baseadas em uma série de fatores conhecidos, mas excluem fatores desconhecidos e menos compreendidos, como modelagem de cobertura de nuvens.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km