Economia

Depois da S&P, Fitch rebaixa rating da Venezuela para nível de calote

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou de C para RD (default restrito) o rating em moeda estrangeira da Venezuela. Em moeda local, a nota foi afirmada em CC.

De acordo com a Fitch, o rebaixamento ocorreu porque a Venezuela descumpriu o pagamento de US$ 200 milhões em cupons de bônus com vencimento em 2019 e em 2024 dentro do período de carência de 30 dias. As quantias deveriam ter sido pagas em 13 de outubro.

Para a Fitch, o rebaixamento da Venezuela reflete “a continuidade do desbalanceamento macroeconômicos do país e do elevado grau de vulnerabilidade fiscal”.

Na segunda-feira à noite, a agência S&P Global havia também reduzido o rating da Venezuela a SD (default seletivo).

A onda de rebaixamentos ocorre ao mesmo tempo em que o governo venezuelano tenta reestruturar a dívida externa. Também na segunda-feira, executivos do governo e da estatal petroleira PdVSA se reuniram com credores para traçar apresentar a eles um plano de pagamento da dívida em atraso, mas um acordo não foi acertado.

Nesta terça-feira, a Associação Internacional de Swaps e Derivativos (Isda, na sigla em inglês) informou que uma nova reunião para discutir o atraso de pagamentos pela PdVSA será realizada na próxima quinta-feira. Outra reunião, sobre a dívida soberana do país, foi marcada para esta quarta-feira.

A Isda é uma organização de participantes do mercado de derivativos. Cabe a ela autorizar ou não o pagamento do seguro contra calote (CDS, na sigla em inglês) de títulos de dívida.

Tópicos

Calote Venezuela