Debate na Band: o positivo e o negativo de cada candidato


Candidatos participam do duelo eleitoral (Crédito:Luís Artur Nogueira)

Estive na sede do Grupo Bandeirantes, em São Paulo, para acompanhar os bastidores do 1º debate com os presidenciáveis desta eleição. A audiência foi elevada na TV, com recorde no YouTube e muita repercussão nas redes sociais. Na plateia lotada do estúdio principal da Band, na noite da quinta-feira 9, havia cerca de 200 pessoas entre jornalistas, políticos e assessores dos candidatos. Foi um bom pontapé inicial da campanha, que deve ganhar mais fôlego a partir de agora.

O compromisso do blog “Descomplicando a Economia” nesta eleição não é o de tentar dizer qual é o melhor nem qual é o pior candidato. Em respeito à inteligência dos leitores, nosso objetivo é o de destacar os pontos positivos e negativos das agendas econômicas defendidas pelos postulantes à principal cadeira do Palácio do Planalto. A decisão na hora de votar é individual.

Com respostas cronometradas e oito participantes – Lula (PT), preso, foi impedido de participar pela Justiça –, não houve muito espaço para o aprofundamento das propostas durante o debate. Diante desta limitação, tentarei elencar um ponto positivo (em tese, geraria voto) e um ponto negativo (em tese, perderia voto) que mais me chamaram a atenção em cada um dos presidenciáveis (em ordem alfabética). Há muitos outros aspectos que, certamente, deixarão de ser mencionados.

Vale salientar que há quatro candidatos que não foram convidados pela emissora devido à falta de representatividade dos seus partidos no Congresso Nacional, conforme prevê a Lei Eleitoral. Um fato curioso foi que nenhum candidato de esquerda defendeu o governo Dilma Rousseff, assim como Geraldo Alckmin não citou Fernando Henrique Cardoso e Henrique Meirelles não mencionou o nome de Michel Temer.

Alvaro Dias (Podemos)
Ponto positivo: prometeu convidar o juiz Sergio Moro para ministro da Justiça
Ponto negativo: não conseguiu explicar como vai gerar emprego

Cabo Daciolo (Patriota)
Ponto positivo: prometeu alçar o Brasil ao posto de maior economia do mundo
Ponto negativo: não explicou como fará para atingir esse objetivo

Ciro Gomes (PDT)
Ponto positivo: prometeu ajudar 63 milhões de brasileiros a sair do SPC
Ponto negativo: não explicou como será a execução deste plano

Geraldo Alckmin (PSDB)
Ponto positivo: prometeu consolidar cinco impostos em apenas um IVA
Ponto negativo: não explicou ao povão o que é IVA

Guilherme Boulos (PSol)
Ponto positivo: prometeu aumentar impostos para ricos
Ponto negativo: não disse como fará para compor uma base sólida no Congresso

Henrique Meirelles (MDB)
Ponto positivo: destacou sua boa gestão no Banco Central durante o governo Lula
Ponto negativo: não explicou por que o quadro fiscal piorou na sua gestão como ministro da Fazenda, no governo Temer

Jair Bolsonaro (PSL)
Ponto positivo: prometeu combater privilégios do setor público
Ponto negativo: não conseguiu justificar o recebimento de auxílio moradia em Brasília, onde possui um apartamento

Marina Silva (Rede)
Ponto positivo: se apresentou como “diferente” na política
Ponto negativo: não conseguiu se defender do fato de ter sido filiada ao PT e, atualmente, ter uma agenda econômica mais ao centro


Mais posts

Declaração de Guedes sobre domésticas na Disney foi muito infeliz

Olá, pessoal! Tudo bem? Quem acompanha o meu trabalho sabe que eu elogio constantemente a agenda econômica do ministro Paulo Guedes. [...]

O que já podemos aprender com os riscos em 2020?

Olá, pessoal! Tudo bem? O mês de janeiro passou como num estalar de dedos, mas esse início de ano nos trouxe inúmeras lições [...]

2020 será o ano do crédito. Isso é bom?

Olá, pessoal! Tudo bem? No apagar das luzes de 2019, gostaria de escrever algumas linhas sobre 2020. Conforme tenho repetido em artigos [...]

O Brasil está crescendo quase o dobro. E pode avançar mais!

Olá, pessoal, tudo bem? Nos últimos dias, diversos indicadores econômicos vieram acima das expectativas dos analistas, sinalizando uma [...]

STF é fonte inesgotável de insegurança jurídica

Olá, pessoal, tudo bem? O julgamento da constitucionalidade da prisão em segunda instância no Supremo Tribunal Federal (STF) ainda não [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.