Edição nº 1134 19.08 Ver ediçõs anteriores

De bobo, Johnson só tem a cara

De bobo, Johnson só tem a cara

Quase imediatamente após a eleição, no fim de julho, de Boris Johnson como primeiro-ministro britânico, o Partido Conservador começou a inundar o Facebook com anúncios promovendo seu novo líder. São mais de 500 por dia, concentrandose nos ambientes temáticos de sempre: Brexit, sistema de saúde, políticas de educação, habitação e sobre violência. De 24 a 30 de julho, a primeira semana de Johnson na cadeira, os conservadores gastaram cinco vezes mais (23,3 mil libras) em anúncios na plataforma que os trabalhistas (4,6 mil libras). Mas em termos de quantidade de anúncios foi um massacre: 1.1124 contra 74. A estratégia da coordenação de mídia social conservadora é bem clara e busca uma demografia altamente específica. O grupo Who Targets Me, que monitora propaganda política nas mídias sociais, diz que apenas uma mensagem para “se juntar ao Partido Conservador”, por exemplo, foi vista principalmente por jovens de 18 a 24 anos, sendo 81% do sexo masculino.

(Nota publicada na Edição 1133 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Nike lança assinaturas

Plataformas tecnológicas foram as que mais se aproveitaram para a reinvenção de segmentos a partir de assinaturas – Netflix é um [...]

Tá buscando o quê?

Mais das metades das buscas no Google geram zero clique. No restante, 9 em cada 10 clicam em links orgânicos e 1 nos links [...]

Tecnologia tá dizendo: seu comportamento é genético

Pesquisadores da Universidade Utah Health, liderados por Christopher Gregg, tentam entender a relação entre comportamento e genética. E [...]

DiDi cria empresa para carro autônomo

Líder global em transporte por aplicativo, a DiDi – dona da 99 no Brasil – anunciou que sua unidade de veículos autônomos, criada em 2016, será transformada em uma empresa independente. A decisão foi tomada para concentrar, e acelerar, produtos e soluções de P&D. O atual head de tecnologia da DiDi, Bo Zhang, será CEO […]

A onda Podcast

(Nota publicada na Edição 1134 da Revista Dinheiro)
Ver mais