De bobo, Johnson só tem a cara

De bobo, Johnson só tem a cara

Quase imediatamente após a eleição, no fim de julho, de Boris Johnson como primeiro-ministro britânico, o Partido Conservador começou a inundar o Facebook com anúncios promovendo seu novo líder. São mais de 500 por dia, concentrandose nos ambientes temáticos de sempre: Brexit, sistema de saúde, políticas de educação, habitação e sobre violência. De 24 a 30 de julho, a primeira semana de Johnson na cadeira, os conservadores gastaram cinco vezes mais (23,3 mil libras) em anúncios na plataforma que os trabalhistas (4,6 mil libras). Mas em termos de quantidade de anúncios foi um massacre: 1.1124 contra 74. A estratégia da coordenação de mídia social conservadora é bem clara e busca uma demografia altamente específica. O grupo Who Targets Me, que monitora propaganda política nas mídias sociais, diz que apenas uma mensagem para “se juntar ao Partido Conservador”, por exemplo, foi vista principalmente por jovens de 18 a 24 anos, sendo 81% do sexo masculino.



(Nota publicada na Edição 1133 da Revista Dinheiro)


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto


Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright ©2022 - Três Editorial Ltda.
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.