Artigo

Dados preveem novas ondas de oportunidade após a recessão

Analisar e agir perante o comportamento do mercado deve ser um dos focos de qualquer empresa que queira sobreviver à nova realidade pós-Covid-19.

Crédito: Evandro Rodrigues

Ações voláteis, taxas recordes de desemprego e previsões de que essa será a pior recessão da história estão levando naturalmente empresas de todos os tamanhos a uma ação de redução de custos, o que é natural. As recessões promoveram algumas das empresas mais importantes da história. A Grande Depressão nos trouxe a GE, a Disney e a HP, que se beneficiaram do marketing enquanto seus rivais o diminuíam. A última grande recessão nos trouxe empresas que nos introduziram na era digital e abriram os olhos para a economia e a dinâmica de novas fontes de renda e serviços, a chamada gig economy – Airbnb, Ifood, Uber e Rappi.

Essas empresas tiveram sucesso porque procuraram oportunidades à medida que os tempos mudavam e criaram produtos e serviços de que o mundo necessitava.

Durante a recessão, as pesquisas pela palavra-chave ‘mortgage’ (hipoteca, em inglês) estavam começando a diminuir, e o número de corretores de imóveis, arrendamento e aluguel aumentaram quase meio milhão. A parcela da força de trabalho dos EUA que trabalha de modo temporário como um todo aumentou de 10,1% para 15,8% em 2015. As pessoas estavam procurando maneiras de reduzir seus custos e ganhar mais de alguma maneira.

O Airbnb, e muitos outros exemplos que alimentaram o desejo de renda alternativa em 2008 e 2009, nasceram da perda — nos EUA, foram perdidos 533 mil empregos em 2008.

De volta a 2020. Depois que o coronavírus desaparecer da mentalidade pública, qual poderá ser a próxima ‘gig economy’ nascida dessa recessão, qual será o próximo AirBnb, ou Uber?

Observar uma variedade de fontes de dados mostra quais são as categorias que estarão prontas para se tornar inovadoras e berço das próximas startups revolucionárias em um futuro próximo.

De acordo com dados recentes da rede da Taboola, em meio à pandemia, temas antes pouco procurados normalmente como melhorias de casa e animais de estimação apresentaram um crescimento significativo. Toda a categoria de casa e jardim registrou aumento de 140% nas visualizações de página no último mês. Já para os pets, vimos aumento de 50% nas visualizaçõe s de página relacionadas ao tema.

O mesmo ocorreu com produtos de beleza para serem usados em casa. As visualizações de página relacionadas ao cuidado com os cabelos tiveram aumento de 36%.

No entanto, sem dúvida, a área que mais apontou crescimento no interesse do consumidor foi fitness e saúde. No total, ocorreu aumento de 2.000.000% de leituras on-line de temas relacionados ao assunto em nossa rede.

Eu estou otimista O ciclo de notícias é um reflexo direto do que está chamando a atenção do consumidor em tempo real. As empresas de sucesso seguirão essas tendências e as usarão para ‘olhar para fora da casinha’ em tempos de crise, mas também ‘olhar para dentro’ e analisar de maneira eficaz onde economizar custos e fazer escolhas comerciais responsáveis e estratégicas para o futuro.

A alta no interesse por conteúdo relacionado é um bom norte para entender o crescimento das oportunidades para inúmeras empresas, existentes e novas, que estarão conosco, moldando uma nova realidade de produtos e serviços. Para o próximo Airbnb de assistência médica, fitness e renovação da casa, olhe e pense “fora da caixinha”.

 Adam Singolda é CEO e fundador da Taboola

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança