Giro

Curdos iraquianos protestam contra ‘corrupção’ de líderes políticos

Curdos iraquianos protestam contra ‘corrupção’ de líderes políticos

Milhares de curdos iraquianos protestaram neste sábado contra a "corrupção" da classe dirigente da região autônoma e para denunciar serviços públicos deficitários - AFP


Milhares de curdos iraquianos protestaram neste sábado contra a “corrupção” da classe dirigente da região autônoma e para denunciar serviços públicos deficitários, observou um correspondente da AFP.

Os protestos, liderados pelo movimento da Nova Geração, um partido da oposição, coincidiram com a onda de protestos que sacudiu Bagdá e o sul do Iraque desde outubro, para exigir uma renovação total do governo federal.

No sábado, milhares de cidadãos saíram às ruas de Suleimaniya (nordeste) para protestar contra as condições de vida cada vez piores da região, que tem um regime de autonomia desde 1991.

O líder da Nova Geração, Shaswar Abdulwahid, disse que a elite dominante “não conseguiu administrar [a região] [corretamente] em 29 anos”.

“Com essas manifestações, daremos esperança aos jovens e a toda a comunidade curda” do Iraque, discursou, alertando em seguida que o protesto deste sábado foi apenas um “primeiro passo”.

O Curdistão iraquiano está dividido há décadas entre o Partido Democrático do Curdistão (KDP), liderado pela família Barzani, e seu rival, a União Patriótica do Curdistão (PUK), liderada pelo clã Talabani.

O movimento Nova Geração foi fundado em 2018 e se opõe à elite da região.

A região autônoma curda, que viveu um auge econômico quando o resto do país mergulhou em violência após a invasão dos Estados Unidos em 2003, é considerada uma área mais próspera e segura do que o restante do país.

Mesmo assim, foi afetada por uma crise econômica causada pelo conflito com o grupo jihadista Estado Islâmico. A instabilidade dos preços do petróleo levou a vários protestos nos últimos anos, especialmente em Suleimaniya.