Dinheiro em Ação

CSN reajusta preço do aço em 10%

Crédito: Divulgação

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vai reajustar em 10% os preços dos aços que fabrica a partir de primeiro de janeiro, informou o diretor executivo comercial e de logística, Luiz Fernando Martinez. O aumento abrange tanto aços planos quanto aços longos. A nova tabela vai atingir os consumidores de distribuição, construção civil, fabricantes de tubos e indústria em geral. Para as montadoras de automóveis, as negociações estão em fase final, com previsão de reajuste entre 5% a 7,5%. Dentre os motivos apontados pelo diretor para o reajuste estão a alta do dólar e o prêmio negativo entre o produto nacional em relação ao importado (cerca de 4% a 6%). Segundo relatório da Guide Investimentos, o impacto é favorável para o papel na bolsa e para toda a indústria siderúrgica, com perspectivas boas no médio prazo . “No caso de CSN, cerca de 4% das exportações são efetivamente para os EUA, sendo que grande parte do resultado advém do segmento de mineração”, diz a Guide.

COMBUSTÍVEIS
Participação na BR será vendida

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, manifestou novamente à imprensa, a intenção da companhia de petróleo de se desfazer de mais uma fatia de participação societária na BR Distribuidora. “A venda da participação remanescente da Petrobras não altera nossa visão sobre as ações da BR Distribuidora, para a qual temos recomendação Neutra e preço-alvo de R$29/ação. Acreditamos que o ambiente mais competitivo do setor de distribuição de combustíveis deve continuar a impactar os resultados da companhia, que na nossa visão ainda precisa refinar mais seu posicionamento comercial”, informou a equipe de análise da XP Investimentos, em relatório aos investidores.

SANEAMENTO
Sabesp atenderá Guarulhos

Divulgação

A Sabesp assinou um acordo de serviço com o município de Guarulhos. Por meio do termo, o município transfere para a Sabesp a operação da parcela dos serviços de esgoto que vinham sendo executados pelo município e pela SAGUA. Em relatório, a corretora Terra Investimentos destacou que a companhia explorará diretamente os serviços de coleta, transporte, tratamento e disposição final de esgotos sanitários. O investimento total em água e esgoto inicialmente previsto em R$ 2 bilhões passará para R$ 3,3 bilhões, ao longo dos 40 anos, sendo R$ 1,2 bilhão em água e
R$ 2,1 bilhões em esgoto.

CRIPTOATIVOS
BitcoinTrade lança cashback

A corretora BitcoinTrade está lançando um novo negócio: o BitcoinBack, sistema de cashback com criptomoedas. “Nosso principal objetivo é trazer ainda mais para perto o público que já está envolvido nesse mercado, dando a possibilidade de investir sem precisar colocar dinheiro diretamente”, ressalta Rodrigo Malta, CEO da BitcoinBack. Grandes nomes do varejo brasileiro já fazem parte do projeto, como Submarino, Carrefour, Lojas Americanas, FastShop, Sephora, Aliexpress, entre outros mais de 300 parceiros. O funcionamento será gratuito.

Touro x urso

O secretário do Tesouro americano Mnuchin, disse que os Estados Unidos têm sérias preocupações e impostos corporativos no mundo. Já na outra ponta, a divulgação pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos mostrou encolhimento dos estoques de petróleo na semana anterior de 4,85 milhões de barris, quando o previsto era menos 1,5 milhão de barris. “Isso mexeu com os preços do óleo no mercado internacional e ajudou na alta de Petrobras”, afirma Alvaro Bandeira, economista-chefe do Modalmais.

DESTAQUE NO PREGÃO
Hapvida compra a Medical

Divulgação

A Hapvida adquiriu 100% da Medical, grupo operador de planos de saúde e hospital na cidade de Limeira no interior de São Paulo. A cooperativa possui uma carteira de cerca de 80 mil beneficiários de planos de saúde na região, que inclui os municípios de Cordeirópolis e Iracemápolis. O valor da aquisição foi de R$ 294 milhões. Até o momento a Hapvida já fez oito aquisições que juntas somam R$ 5,8 bilhões. A corretora Terra Investimentos observou em relatório que a Hapvida captou cerca de R$ 8 bilhões entre emissões de ações (IPO) e debêntures. Já a Guide Investimentos lembrou que a Medical já possuía negociações com o grupo São Francisco antes de ser adquirida pela Hapvida. A Medical encerrou o ano de 2018 com receita de R$ 180 milhões. O hospital da Medical em Limeira possui cerca de 100 leitos e maternidade e será ofertado aos usuários do plano de saúde da São Francisco.

Palavra do analista

“O impacto é positivo e está linha com o plano de expansão da empresa. O objetivo da aquisição é justamente a redução da sinistralidade, através da verticalização da operação da Medical com ativos da São Francisco, além de uma reformulação da operação em Limeira”, afirma a equipe de análise da Guide Investimentos, em relatório.

MER­CA­DO EM NÚMEROS

TRANSFERHUB
R$ 60 milhões
É o valor transacionado pela fintech TransferHub em operações de câmbio desde abril de ano, quando iniciou suas atividades. “Isso gerou a economia de cerca de R$ 700 mil para as cem empresas ativas. A expectativa para o ano que vem é movimentar R$ 400 milhões em operações e ter 1 mil clientes”, diz Rafael Mellem, CEO do TransferHub.

ACQUA
327 mil
É o número de pessoas beneficiadas diretamente pela plataforma de doações do imposto de renda (IR) do projeto Acqua Solidária, da Acqua Investimentos. O objetivo é conscientizar os clientes (investidores) a doarem até 6% do IR para 100 entidades carentes, como Associação Maria Helen Drexel, Hospital do Amor e Projeto Locomotiva.

DUFF & PHELPS
30%

É o crescimento do número de operações de fusões e aquisições do setor de consumo em 2019, para 1 mil transações, segundo Alexandre Pierantoni, diretor da consultoria Duff & Phelps no Brasil.

DINAMO NETWORKS
R$ 120 milhões
É o quanto a Dínamo Networks pretende alcançar em receitas nos próximos cinco anos, agora como fornecedor de Hardware Security Module (HSMs) do Banco Central do Brasil para segurança de identidade digital.

Número da semana
US$ 25

É o preço máximo do papel da XP Investimentos a ser negociado na oferta inicial de ações (IPO) em Nova York, segundo prospecto na SEC, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos. A faixa de preço foi definida entre US$ 22 e US$ 25 por ação. O valor total da oferta vai de US$ 1,8 bilhão a US$ 2,1 bilhões e o valor de mercado da XP fica entre US$ 12,1 bilhões e US$ 13,8 bilhões. Segundo relatório da casa de análise Levante, a primeira notícia, não tão boa, é que será muito difícil para um investidor pessoa física do varejo brasileiro fazer o seu pedido de reserva no IPO. “Provavelmente, só poderá comprar ações da XP quando elas começarem a ser negociadas na Nasdaq. A notícia boa é que está mais do que na hora de você abrir uma conta numa corretora de valores dos Estados Unidos para começar a investir em ativos no Exterior”, diz a Levante, em relatório. “Quem investir nas ações da XP na Nasdaq nos EUA poderá ter um retorno anual em dólares de 10% ao ano de 2019 a 2023”, afirma.


ETF ISUS É POUCO NEGOCIADO NA BOLSA?
Carteira do Índice de Sustentabilidade inclui BRF, BR Distribuidora e Movida para 2020

Na média de dez pregões até 3 de dezembro, o fundo listado em bolsa de valores (ETF) It Now ISE (de código ISUS11) – que reflete a carteira teórica de ações do Índice de Sustentabilidade (ISE) – teve apenas 5,4 negócios por dia na B3. É pouco quando comparado com o principal ETF, o BOVA 11, indexado ao Ibovespa, que alcançou uma média de 41 mil negócios por dia no mesmo período.  Mesmo pouco negociado, a carteira de ações de empresas consideradas sustentáveis é uma das mais recomendadas do mercado para o longo prazo. Para Sonia Favaretto, a presidente do conselho deliberativo do ISE, o índice apresenta menor volatilidade e maior valorização (266,19%) do que o Ibovespa (235,43%) no mesmo período. “A cada ano, mais empresas se candidatam para participar do processo de seleção”, diz. Para 2020, o ISE incluirá os papéis da BRF, Movida e BR Distribuidora. A carteira já reúne as ações das seguintes companhias: AES Tietê, B2W, Banco do Brasil, Bradesco, Braskem, CCR, Cemig, Cielo, Copel, Duratex, Ecorodovias, EDP, Eletrobras, Engie, Fleury, Itaú Unibanco, Itaúsa, Klabin, Light, Lojas Americanas, Lojas Renner, MRV, Natura, Santander, Vivo, Tim e Weg.

ERRATA: Diferente do informado na versão impressa sobre o risco de liquidez do ETF ISUS, é correto informar que o produto possui um formador de mercado (no caso, o Credit Suisse), que, se necessário, compra e vende as cotas no mercado de acordo com as ordens lançadas pelos investidores.