Edição nº 1057 16.02 Ver ediçõs anteriores

Cruzeiro do relaxamento

É comum encontrar pessoas relaxando em cruzeiros ao redor do mundo. A rede britânica Belmond, especializada em experiências de luxo e com mais de 45 hotéis espalhados pelo planeta, no entanto, decidiu levar a tranquilidade em alto mar para outro nível. Em outubro de 2017, a companhia iniciará os seus cruzeiros focados no mindfulness, uma técnica que busca o relaxamento valorizando a experiência presente. Ou seja, com o foco no aqui e no agora. O primeiro deles será em Myanmar, país que possui diversos templos budistas, e o navio será todo equipado para ajudar os viajantes a atingirem o seu nirvana, com salas para meditação, aulas de ioga tibetana, piscinas, spas e coaching de especialistas na arte do mindfulness. Entre os passeios do cruzeiro, está a visita ao Templo Ananda, que possui três gigantescas estátuas douradas de Buda. A Belmond oferece viagens de três ou sete dias, que custam US$ 2,6 mil e US$ 4,6 mil, respectivamente.

(Nota publicada na Edição 1014 da revista Dinheiro)


Mais posts

Niemeyer e Véio são destaque em Milão

Uma exposição em Milão homenageia dois nomes importantes para a cultura brasileira: o arquiteto e designer Oscar Niemeyer (1) e o [...]

Festival da trufa

O chef francês Alain Ducasse criou um menu-degustação de sete etapas que tem a trufa negra como ingrediente principal. O menu é servido [...]

Inspiração brasileira

Os designers brasileiros Irmãos Campana criaram para a marca italiana Bisazza, fabricante de pastilhas e ladrilhos, uma coleção [...]

Viagem aconchegante

A companhia americana de cruzeiros Seabourn está com um novo navio em sua frota: o Ovation. A rota inaugural acontece em maio, saindo [...]

Drink de reis

Uma das atrações mais extravagantes do hotel Wynn, em Las Vegas, é um drink de US$ 10 mil chamado “The Ono”, variação do nome do deus [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.