Economia

Crise faz empresa mudar mix de lojas e reocupar espaços

Após sofrer com o aumento dos espaços vagos em seus shopping centers, a Iguatemi vai substituir marcas ou reduzir determinadas lojas, que serão “fatiadas” entre mais inquilinos. No primeiro trimestre, a Iguatemi tinha 93,7% da área bruta locável (ABL) de seus shoppings ocupados, 1 ponto porcentual a menos do que no mesmo período de 2018. “Tivemos a saída de operações que ocupavam uma área grande”, diz Cristina Betts, vice-presidente de finanças e diretora de relações com investidores, referindo-se especialmente a casos como Cultura e Saraiva. Segundo a executiva, a era das “megalivrarias” está perto do fim. Agora, o segmento pode ver o espaço reduzido a um terço do tamanho original ou até sumir de vez.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?