Giro

Criador do touro dourado da B3 diz que não ganhou “um real” com a obra

Crédito: Reprodução / Twitter

Touro dourado da B3 (Crédito: Reprodução / Twitter )

O arquiteto e artista plástico Rafael Brancatelli, responsável pela escultura do touro dourado instalada em frente à Bolsa de Valores de São Paulo (B3), disse que não teve lucro com a obra e ainda é criticado.



“Quando pensei em fazer essa coisa não imaginava que teria essa repercussão”, disse o artista em entrevista ao jornal O Globo.

“Não ganhei um real para fazer o touro, porque a ideia era criar algo sem fins lucrativos, mas estou sofrendo ataques de toda natureza”, afirmou Rafael ao jornal.

Nos últimos dias, a escultura foi alvo de manifestações com cartazes em protesto contra a fome. Teve até um churrasco próximo ao touro de uma Organização não Governamental e moradores de rua em protesto contra a fome, o desemprego e a miséria no país.

Em Nova Iorque, a família do escultor italiano Arturo Di Modica, criador do touro de bronze de Wall Street, conta que ficou sabendo do touro brasileiro pela imprensa citou a semelhança com a criação de Di Modica. A viúva do artista disse à BBC Brasil News que não foi procurada pela B3 ou por Brancatelli.

+ O economista Paulo Gala revela os caminhos para investir bem em 2022



Bolsonaro admite desmatamento e culpa países que compram madeira do Brasil

Alguns especialistas disseram ao portal de notícias que a B3 pode ter ferido direitos autorais com a obra brasileira. A família não informou se pretende acionar a justiça ou não. Jacob Harmer, agente de Arturo Di Modica até fevereiro deste ano, quando o artista faleceu devido a um câncer, disse que o caso não deve ir à justiça.

Em Manhattan, a obra foi instalada em 1989 como um presente do escultor que considerava a peça um “símbolo da força e poder do povo americano”. A escultura é de bronze e pesa 3,5 toneladas, tem 3,4 metros de altura e 4,9 metros de comprimento.

No Brasil, a B3 disse que a peça simboliza o mercado financeiro e a força do povo brasileiro.

Em entrevista ao jornal O Globo, Rafael Brancatelli disse que sua escultura, um presente para o centro de São Paulo, é diferente do touro de Wall Street em material, cor e tamanho. O touro brasileiro é construído com estrutura metálica tubular e múltiplas camadas de fibra de vidro de alta densidade e finalizada com pintura dourada anticorrosiva.

“Trata-se de um design original, que não tem a intenção de replicar a obra de outro escultor”, disse Brancatelli por meio da assessoria da B3.


Saiba mais
+ SP: Homem morre em pé, encostado em carro, e cena assusta moradores no litoral
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ Andressa Urach pede dinheiro na internet: ‘Me ajudem a pagar a fatura do meu cartão’
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto