Edição nº 1074 15.06 Ver ediçõs anteriores

Crescimento acelerado

Crescimento acelerado

A empresa de compartilhamento de escritórios Regus tem pisado no acelerador quando o assunto é a abertura de novas unidades no Brasil. No início do ano, a companhia contava com 62 centros da Regus e dois coworkings da marca Spaces. “Mas vamos fechar o ano com 84 unidades da Regus e outras cinco da Spaces”, diz Tiago Alves, CEO da Regus no Brasil. A explicação para o crescimento do grupo no País reside em duas questões. A primeira é a mudança comportamental. “Agora mesmo, durante a greve dos caminhoneiros, muitas pessoas e empresas perceberam as vantagens do compartilhamento e da mobilidade”, diz Alves. Outro fator são os imóveis disponíveis. “Temos contratos com vários fundos imobiliários que nos procuram.” A Regus ocupa, por exemplo, espaços alugados da Rio Bravo, BR Properties, Previ, Credit Suisse, entre outros.

(Nota publicada na Edição 1073 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Machado da Costa e Márcio Kroehn)


Mais posts

A receita do dono do iFood

Fabricio Bloisi, CEO e fundador da Movile, empresa de tecnologia dona de marcas consagradas internacionalmente como iFood e PlayKids, [...]

Os ambiciosos planos do banco ING

Há seis meses no comando do banco holandês ING no Brasil, o executivo Samuel Canineu lidera uma operação de atacado com ativos de R$ 20 [...]

Os estrangeiros estão calmos

A instabilidade do câmbio apresentada nas últimas semanas chamou a atenção até de quem está acostumado com o vai-e-vem da moeda [...]

Charge da semana

(Nota publicada na Edição 1074 da Revista Dinheiro, com colaboração de: Pedro Arbex)

A caminho de 2021

A GuardeAqui, a maior empresa de self storage do Brasil, anunciou recentemente a aquisição da SelfStok, de Brasília, e chegou ao número [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.