Finanças

Cresce busca de investidores pela Bolsa de Valores; veja 4 dicas para não errar

Crédito: Divulgação - B3

Apesar do crescimento no número de investidores, especialistas destacam que a aplicação em Bolsa de Valores requer cuidados (Crédito: Divulgação - B3 )

Com a Selic, taxa básica de juros, no menor patamar histórico, os brasileiros estão buscando diversificar seus investimentos para garantir melhor retorno nas aplicações. Neste sentido, a Bolsa de Valores começou a ganhar destaque entre os investidores.

Para se ter uma ideia, em 2018, o número de investidores na B3 (Bolsa brasileira) era de 814 mil e, em dezembro de 2020, foi atingida a marca de 3,2 milhões, representando um aumento de quase 300%. No primeiro semestre de 2021, esse crescimento foi de 17%, sendo 500 mil novos investidores no 1º semestre de 2021.

+ “Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil”, diz Ricardo Brasil, trader e influencer de finanças

Apesar do crescimento no número de investidores, especialistas destacam que a aplicação em Bolsa de Valores requer cuidados. Veja algumas dicas para evitar erros ao ingressar no mercado de ações.



1 – Cautela com altos e baixos

A variação do preço dos preços das ações não deve alterar a decisão de se manter os investimentos, que devem ser pensados de maneira estratégica e a longo prazo.

2 – Conhecimento

Estudar o mercado, ainda que você tenha um consultor para te ajudar na tomada de decisões é fundamental. Ter algum conhecimento de ciclo econômico, empresas do setor, histórico de crescimento de lucros, endividamento, potencial de expansão ou crescimento são importantes para quem quer investir no mercado financeiro.

3 – Longo prazo

Você até pode conseguir retorno rápido com investimento em Bolsa, mas essa é uma exceção. Portanto, pense no longo prazo e escolha empresas com potencial de valorização para colher os frutos alguns anos depois do investimento.

4 – Reserva de emergência

Situações inesperadas podem acontecer e os recursos para esses momentos devem estar alocados em produtos financeiros que permitam tirar os valores a qualquer momento sem que haja grandes perdas. A dica é colocar em Bolsa de Valores apenas os recursos que você não vai precisar no curto prazo ou em uma situação de emergência.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km