Política

CPI da Covid apura elo entre Flávio Bolsonaro e diretor da Precisa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, apura a ligação entre o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e o diretor Institucional da Precisa Medicamentos, Danilo Trento. Os senadores querem saber se o dirigente acompanhou o filho do presidente e uma comitiva do Senado que foi a Las Vegas no ano passado.

Em depoimento aos senadores nesta quinta-feira, 23, Trento confirmou que esteve na cidade americana uma vez e disse que viajou em voo comercial. Questionado se estava acompanhado de algum senador, sobre a data da viagem e sobre o que fez em Las Vegas, o diretor da Precisa optou por ficar em silêncio.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) apresentou registros da viagem de Trento para Las Vegas. Segundo o parlamentar, o diretor saiu de São Paulo em 23 de janeiro do ano passado e retornou ao País quatro dias depois. Girão afirmou que a viagem fez parte de uma caravana de autoridades brasileiras, incluindo o atual ministro do Turismo e ex-presidente da Embratur, Gilson Machado.

Dados do portal do Senado apontam que Flávio Bolsonaro esteve nos Estados Unidos entre 19 e 26 de janeiro do ano passado. Segundo o site, o filho do presidente acompanhou uma comitiva da Embratur em reuniões com o Carnival Group e a Royal Caribbean International, em Miami, e com o presidente e CEO do Las Vegas Sand Corporation, Sheldon Adelson. Foram gastos R$ 12,5 mil em diárias. Segundo o portal, o senador Irajá (PSD-TO) também esteve na delegação e foram gastos R$ 14,4 mil em diárias.



Na avaliação do senador Humberto Costa (PT-PE), a viagem “demonstra, mais do que qualquer coisa, a proximidade entre um determinado senador” e Trento. “A investigação que vai ser feita pode demonstrar que essa viagem se prolongou”, disse. “Não é comum um lobista, um dono de uma empresa que tem negócios com o governo, viajar com um senador e, mais ainda, para fazer tratativas que dizem respeito à tentativa de trazer para o Brasil a prática do jogos de azar.”

Segundo o Portal da Transparência, entre setembro de 2019 e o mesmo mês do ano seguinte, a Precisa teve um contrato de R$ 41 milhões em vigor com o Ministério da Saúde para fornecimento de preservativos femininos. Em fevereiro deste ano, a empresa intermediou um acordo de R$ 1,6 bilhão com a pasta para fornecer 20 milhões de doses da vacina Covaxin. O contrato foi rescindido após indícios de irregularidades.

Durante a audiência, Trento confirmou conhecer Flávio Bolsonaro de eventos institucionais, mas negou ter relação com o filho do presidente ou com outro integrante da família.

Em nota, Flávio Bolsonaro afirmou que “alguns poucos senadores irresponsáveis da CPI distorcem fatos e criam narrativas” para atacá-lo. Disse ainda que “nunca se reuniu com o sr. Danilo Berndt Trento em Las Vegas, nem possui vínculo de qualquer espécie com o mesmo”. “O senador esteve na referida cidade em missão oficial e suas agendas estão publicadas no site do Senado Federal.”

Depoimento

A sessão para ouvir Danilo Trento durou cerca de 5 horas. O diretor da Precisa não respondeu à maioria das perguntas da CPI, amparado em uma decisão do Supremo Tribunal Federal, que lhe concedeu o direito ao silêncio. A CPI quebrou os sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático do dirigente e de seu irmão Gustavo Trento durante a sessão.

Trento declarou ser diretor da Precisa há cerca de três anos e disse cumprir “atividades institucionais em órgãos institucionais”. Ele não explicou à comissão quais são as atividades de sua própria empresa, a Primarcial Holding e Participações.

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), em posse da CPI, registrou como atípicas transações milionárias entre a 6M Participações, controlada por Francisco Maximiano, dono da Precisa, e a Primarcial.

O diretor da empresa disse ao presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), que a Primarcial “é uma empresa de participação”. “Eu tenho que olhar o contrato social dela, as outras atividades, mas é uma empresa de participação.”

As declarações e o silêncio de Trento reforçaram as suspeitas da CPI sobre um suposto esquema de corrupção no governo. “Essa gente que foi escolhida pelo presidente da República para comprar vacina quando recusava comprar vacina à Pfizer, ao Butantan e à OMS. Ele preferiu esse tipo de negociação. Governo corrupto”, disse o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL).

Antes do início da sessão, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que Trento é o “chefe da lavanderia da Precisa”, “da lavanderia do dinheiro” da empresa. “Através da empresa dele circulam muitos recursos que vão para outras empresas que mandam para terceiras empresas”, disse.

Próximos passos. A CPI aprovou requerimento para quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico da empresa Barão Turismo, suspeita de abrir uma offshore no exterior para supostamente movimentar dinheiro de propina oriunda da compra da Covaxin. Também durante a sessão, os senadores aprovaram uma nova convocação do empresário Luciano Hang para prestar depoimento na próxima quarta-feira, 29. Ele já havia sido convocado anteriormente pela CPI.

A comissão aprovou ainda a convocação do secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, para falar sobre o caso Prevent Senior, e da advogada Bruna Morato, que representa os médicos que denunciaram fraudes na rede.

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km