Giro

Covid: equipamentos de proteção aumentaram emissões e prejudicaram ambiente

Crédito: Reprodução/Pexels

A Agência Europeia indica que uma máscara de algodão reutilizável tem um impacto inferior a uma descartável após 13 utilizações. (Crédito: Reprodução/Pexels)

A Covid-19 provocou aumentos substanciais de consumo de produtos como luvas, máscaras e algumas embalagens, aumentando emissões de gases com efeito de estufa e prejudicando o ambiente terrestre e marinho na Europa, alertou nesta terça-feira (22) a Agência Europeia do Ambiente.

A AEA salienta que é necessário repensar as práticas de produção, consumo e gestão de resíduos de plástico de utilização única na Europa, para tornar a sociedade melhor preparada para os impactos contínuos da pandemia de Covid-19 e impactos potenciais de futuras pandemias.

+ Bolsonaro parabeniza Salles: união da agricultura com ambiente foi quase perfeito

Em informação divulgada na página oficial da AEA é analisado o impacto das máscaras, luvas e alguns tipos de embalagens feitas de plástico de utilização única, centrado em dados do ano passado.



Ainda que nos primeiros meses da pandemia de covid-19 a produção de embalagens de plástico tenha baixado na União Europeia, devido à desaceleração das economias, essas mesmas restrições levaram ao aumento das compras online, e consequente aumento de embalagens.

Em 2020 aumentou também a produção e importação de máscaras e luvas. Por não existirem dados de utilização de máscaras e outros equipamentos de proteção, a AEA usa dados de importações e assegura que a importação de máscaras faciais para a União Europeia mais do que duplicou, ao mesmo tempo que a produção na Europa também aumentou.

Apesar de as organizações internacionais não recomendarem o uso de luvas como medida preventiva da covid-19, entre abril e setembro do ano passado as importações adicionais de luvas para os 27 Estados membros foram de 105 mil toneladas, um aumento de 80%.

A AEA admite que não é fácil avaliar os impactos das máscaras no ambiente, mas adianta que as emissões de gases com efeito estufa relacionadas com a fabricação, transporte e tratamento de resíduos de máscaras faciais de utilização única variam de 14 a 33,5 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por tonelada de máscaras.

Comparando uma máscara de utilização única com uma reutilizável, a AEA indica que uma máscara de algodão reutilizável tem um impacto inferior a uma descartável após 13 utilizações.

Para futuros casos de pandemias ou outros “eventos perturbadores”, a AEA sugere que se faça pesquisa para reduzir impactos ambientais e climáticos de respostas a esses eventos, seja no tipo de material utilizado seja na concepção do produto, e que se desenvolvam estratégias para melhorar o comportamento dos consumidores.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago