Giro

Covid-19: vacina nasal vai começar a ser testada em humanos

Crédito: Pexels

Deve ser considerado o primeiro dia de isolamento o dia seguinte ao início dos sintomas ou a data da coleta de teste RT-PCR ou de teste de antígeno (Crédito: Pexels)

Uma vacina nasal está sendo desenvolvida desde junho de 2020 que promete bloquear toda e qualquer contaminação do vírus da Covid-19. A equipe de pesquisa francesa do BioMAP da INRAE-Universidade de Tours, desenvolveu o projeto alternativo à vacina tradicional e, na última quinta-feira (20), anunciou a criação de uma startup que será responsável pelo desenvolvimento e operação da solução.

Os mais recentes resultados pré-clínicos permitiram este novo passo, apesar de terem sido feitos com a variante Delta ao longo do inverno. No entanto, as conclusões apontam para a robustez da vacina.



A startup francesa LoValtech viu assim a luz do dia e detém a licença exclusiva para a exploração mundial da patente relativa à vacina, concedida pela Universidade de Tours e pela INRAE. Será a nova empresa que vai conduzir os testes em humanos, necessários para a autorização da comercialização da vacina no final de agosto de 2023, ou mesmo início de 2024. A vacina deve ser produzida pela empresa Bioways, sediada em Toulouse, na Frannça.

Segundo comunicado do INRAE e a Universidade de Tours, o valor agregado dessa vacina está na capacidade de cortar a transmissão entre os indivíduos, atuando diretamente na mucosa nasal. Em laboratório, testes pré-clínicos demonstraram a eficácia da vacina após duas imunizações nasais espaçadas de três semanas.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!