Giro

Covid-19: medidas restritivas têm impacto em registro de crimes no Rio

O Instituto  de Segurança Pública (ISP) divulgou, nesta terça-feira (26), os dados referentes à criminalidade no Rio de Janeiro em abril de 2020. Segundo o ISP, com a adoção de medidas restritivas para prevenir e combater a propagação da pandemia da covid-19 no estado, os registros de ocorrência de crimes sofreram impacto nos meses de março e abril.

As medidas restritivas começaram no dia 13 de março. Os indicadores podem apresentar queda por causa do distanciamento social, que ajuda na redução da criminalidade, e da diminuição dos registros das ocorrências, resultando em subnotificações.

Em abril, os dados de indicadores estratégicos analisados pelo ISP tiveram queda, em sua maioria. Apenas as mortes por intervenção de agentes do Estado, quando há confronto com as forças de segurança, subiram: de janeiro a abril, foram 606. No mês de abril, 177. Na comparação com o ano passado, o indicador aumentou 8% em relação ao quadrimestre e de 43% em relação a abril.

Os crimes de estelionato na presença da vítima tiveram redução de 20% no mês de abril: foram 2.594 casos. Já os casos de estelionato aplicados em ambiente  virtual subiram mais de 20%. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, os casos aplicados de forma  virtual (pela internet) passaram de 9,3% em abril de 2019 para 31,1% em abril de 2020.

Queda dos indicadores

Os crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte) fizeram 1.399 vítimas nos quatro primeiros meses de 2020 e 321 em abril. Na comparação com o ano passado, houve queda de 5% em relação ao quadrimestre e de 14% em relação a abril.

O número de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) chegou a 1.355 nos quatro primeiros meses de 2020. Em abril, foram 311. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 4% em relação ao quadrimestre e de 14% em relação a abril.

No caso de roubo seguido de morte (latrocínio), quando a pessoa rouba e acaba matando a vítima, foram 31 vítimas nos quatro primeiros meses de 2020 e cinco em abril. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou 14 mortes a menos em relação ao quadrimestre e seis a menos em relação a abril.

O roubo de cargas também caiu em abril: foram 337. No quadrimestre, foram1.698 casos. Na comparação com o ano passado, o indicador registrou queda de 37% em relação ao quadrimestre e de 49% em relação a abril.

O roubo de veículo também teve queda expressiva: foram 10.468 ocorrências nos quatro primeiros meses de 2020 e 1.847 em abril. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 30% em relação ao quadrimestre e de 51% em relação a abril.

Na categoria crimes de rua, na qual estão incluídos o roubo a transeunte, o roubo de aparelho celular e o roubo em coletivo, também ocorreu queda expressiva. Foram feitos 29.622 registros nos quatro primeiros meses de 2020 e 4.021 em abril. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 34% em relação ao quadrimestre e de 64% em relação a abril.

Violência contra a mulher

Apesar da quarentena, que leva as mulheres a passar mais tempo em casa, o número das vítimas de feminicídio e detentativas de feminicídio em abril de 2020 caiu em relação ao mesmo mês do ano anterior: foram três vítimas de feminicídio e 15 de tentativa de feminicídio.

O total de crimes contra mulheres registrados no mês passado caiu 51% em abril em relação ao ocorrido nomesmo período do ano anterior: foram 3.239 este ano contra 6.605 em 2019.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança