Ciência

Costa Rica inicia aplicação de anticorpos equinos em pacientes com Covid-19

Crédito: AFP/Arquivos

Plasma convalescente em pacientes de COVID-19 é um dos tratamentos em investigação na Costa Rica - AFP/Arquivos (Crédito: AFP/Arquivos)

A Costa Rica começou nesta segunda-feira a aplicar anticorpos equinos em pacientes com Covid-19, numa fase avançada da pesquisa de um tratamento para pessoas infectadas pelo novo coronavírus, anunciaram autoridades sanitárias.

O medicamento foi obtido do plasma de cavalos nos quais foram injetadas proteínas do novo coronavírus, e começou a ser aplicado em 26 pacientes internados com a doença, informou Román Macaya, presidente da Caixa do Seguro Social da Costa Rica (CCSS), responsável pelos hospitais públicos.

China celebra sua gestão do coronavírus; Europa tenta conter novos surtos

Desenvolvedores de vacina de EUA e Europa prometem rigor em testes

Segundo Macaya, o medicamento foi aplicado hoje em quatro pacientes – dois homens e duas mulheres -, de 43, 60, 66 e 77 anos. Os demais irão recebê-lo nos próximos dias. O presidente da CCSS informou que os primeiros resultados do tratamento serão conhecidos “em poucas semanas”.

“É um estudo de primeiro mundo”, afirmou o ministro da Saúde, Daniel Salas, sobre o tratamento, desenvolvido pela Universidade da Costa Rica e a CCSS. Um medicamento semelhante é desenvolvido na Argentina.

“O tratamento é uma mescla de anticorpos equinos dirigidos a diferentes pontos do vírus, para tentar freá-lo antes que gere consequências para a saúde do paciente”, explicou Macaya, assinalando que o medicamento visa a reduzir a mortalidade da doença e acelerar a recuperação dos pacientes.

O tratamento com plasma equino foi testado em um laboratório da Universidade George Mason, nos Estados Unidos, que verificou a potência dos anticorpos, indicou Macaya, ressaltando que ter um tratamento desenvolvido por cientistas da Costa Rica “gera esperança, e esta etapa de testes clínicos, além de histórica, nos enche de otimismo”.

Se o tratamento se mostrar eficaz, a produção em larga escala será iniciada no Instituto Clodomiro Picado, da Universidade da Costa Rica. O país, de 5 milhões de habitantes, registra 48.780 casos do novo coronavírus e 510 mortos.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”

+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?