Giro

Corpo de Bruno Pereira é velado e cremado em cerimônia com despedida indígena

Crédito: REUTERS / Diego Nigro

Corpo de Bruno Pereira é velado e cremado em cerimônia com despedida indígena (Crédito: REUTERS / Diego Nigro)



Por Leonardo Benassatto e Diego Nigro

PAULISTA, Pernambuco (Reuters) – O corpo do indigenista Bruno Pereira, assassinado este mês enquanto investigava ameaças a povos isoladas da Amazônia, foi velado nesta sexta-feira em seu Estado natal de Pernambuco, com uma despedida tradicional indígena antes da cremação.

Pereira, de 41 anos, pai de três filhos, foi cremado após um funeral ao qual compareceram sua família e indígenas que prestaram homenagem ao homem que passou sua carreira estudando e defendendo os povos originários.

Cerca de doze homens e mulheres indígenas do povo Xukuru disseram adeus a Pereira com música e dança, enquanto uma foto dele descansava em cima de seu caixão, coberto com bandeiras de Pernambuco e do clube de futebol Sport Recife.




“Viemos honrar nosso guerreiro, o guerreiro Bruno, que hoje se torna um mártir para todos nós, para a causa indígena”, disse Marcos Luidson, líder da comunidade Xukuru em Pernambuco.

Pereira começou a trabalhar na agência indígena Funai em 2010 no Vale do Javari, uma área remota que abriga a maior concentração de povos isolados do mundo.

Bruno e Dom: PF vê ‘versão desconexa’ e solta homem que se apresentou à polícia


Foi lá que Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips foram assassinados no começo deste mês enquanto estudavam as tentativas das povos indígenas de se defenderem contra caçadores, garimpeiros, madeireiros e pescadores ilegais.

Pereira foi colocado em licença pela Funai em 2019, após trabalhar com a Polícia Federal em uma operação que destruiu 60 barcos usados por garimpeiros. Anteriormente naquele ano, o presidente Jair Bolsonaro havia criticado policiais por destruírem equipamentos confiscados de garimpeiros e madeireiros ilegais.

A retirada de Pereira do seu cargo de coordenador na Funai fez parte de uma onda de cortes de funcionários e orçamentos da agência após Bolsonaro chegar ao poder em 2019.

Pereira posteriormente ajudou grupos indígenas a patrulharem o Vale do Javari contra atividades ilegais de invasores, um trabalho perigoso que o fez receber várias ameaças.

Assassinatos de defensores de terras indígenas pularam para 10 tanto em 2019 quanto em 2020, em comparação com cinco nos dois anos anteriores combinados, segundo o grupo de direitos humanos Global Witness.

No funeral, o líder Xukuru Luidson pediu responsabilização por Pereira, Phillips e todos os defensores dos indígenas que foram mortos.

“Quantos outros líderes foram mortos? Quantos guerreiros temos que foram assassinados em torno da luta por território sem visibilidade?… Muitos outros”, disse Luidson.

(Reportagem adicional de Jake Spring e Anthony Boadle)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI5N11Y-BASEIMAGE






Tópicos

agência indígena Funai Amarildo pelado crime Dom Bruno confissão Amazonas Amazônia ameaças a povos isoladas da Amazônia ameaças de morte área remota assassinado assassinato indigenista Bruno Pereira jornalista britânico Dom Phillips assassinatos assassinatos Bruno Pereira Dom Phillips assassinatos caso Bruno e Dom assassino confessa crime Atalaia do Norte bandeiras bandeiras de Pernambuco barco dom e bruno encontrado Bolsanoaro aventura Bruno Araújo Pereira bruno pereira caixão caso Bruno e Dom cerimônia clube de futebol Sport Recife comunidade São Rafael coordenador funai Corpo de Bruno Pereira corpo do indigenista Bruno Pereira corpos DOM e Bruno encontrados cremação cremado crime aconteceu há quase 20 dias no Vale do Javari dança Dantas atribui a execução a Pelado delegada titular tomou seu depoimento desaparecidos desaparecidos Dom Phillips Bruno Araújo mochila desaparecidos repercussão internacional Desaparecimento Dom Phillips indigenista Desaparecimento Dom Phillips indigenista acidente Desaparecimento Dom Phillips indigenista amazonia selva garimpeiros Desaparecimento Dom Phillips indigenista bombeiros Desaparecimento Dom Phillips indigenista brazilian government Desaparecimento Dom Phillips indigenista busca Desaparecimento Dom Phillips indigenista CNN Desaparecimento Dom Phillips indigenista crime garimpo Desaparecimento Dom Phillips indigenista El País Desaparecimento Dom Phillips indigenista fotos pessoas armadas Desaparecimento Dom Phillips indigenista governo brasileiros Desaparecimento Dom Phillips indigenista Guardian Desaparecimento Dom Phillips indigenista investigação Desaparecimento Dom Phillips indigenista mortes Desaparecimento Dom Phillips indigenista NYtimes Desaparecimento Dom Phillips indigenista polícia federal Desaparecimento Dom Phillips indigenista sites estrangeiros Desaparecimento Dom Phillips indigenista the times Desaparecimento Dom Phillips indigenista tiros Desaparecimento Dom Phillips indigenista tragédia despedida despedida indígena despedida tradicional indígena dom bruno mortos tiro tórax dom bruno repercussão mídia dom bruno tiro na cabeça dom phillips dom phillips jornal tehe guardian duplo homicídio duplo homicídio Amazônia duplo homicídio Vale Javari ele mesmo se apresentou para confessar participação no duplo homicídio encontrado corpos de Dom e Bruno Estado natal de Pernambuco Exército fuga Funai funeral Gabriel Dantas diz que cruzou três Estados Gabriel Pereira Dantas GARIMPEIROS homicídio Bruno Pereira homicídio Dom Phillips homicídios Bruno Pereira Dom Phillips indígena indígenas indigenista indigenista e jornalista ingles desaparecidos índios jornalista jornalista ingles líder da comunidade Xukuru em Pernambuco MADEIREIROSO maior concentração de povos isolados do mundo Marcos Luidson material orgânico é um estõmago humano material orgânico encontrado mochila com pertences de desaparecedios mortes Bruno Pereira Dom Phillips mortes Dom e Bruno mulheres indígenas música negligência do governo federal amazônia Novo suspeito assassinatos Vale do Javari Novo suspeito no caso Bruno e Dom o poder do estado na Amazônia O que é a Funai e qual é a sua função? objetivo suspeito chegar ao Rio de Janeiro Pelado teria usado uma espingarda calibre 16 Pernambuco pescadores PF diz que não há mandantes do crime Dom Bruno Polícia Federal Polícia Federal dom Bruno assassinos agiram sozinhos povo Xukuru Povos originários Praça da Sé QUE A FUNAI DEFENDE? quem mandou matar Bruno e Dom? quem mandou matar Dom e Bruno? relato tem riqueza de detalhes polícia SP suspeito suspeito 2º Distrito Policial suspeito 8 mil quilômetros fuga suspeito atribui assassinatos a Pelado suspeito atribui homicídios a Pelado suspeito atribui mortes a Pelado suspeito confessou participação em assassinatos suspeito confessou participação em mortes suspeito disse que queria se entregar suspeito diz que cruzou três Estados suspeito foi levado ao 2º Distrito Policial suspeito mais de 8 mil quilômetros em fuga suspeito morte indigenista suspeito morte jornalista suspeito mortes Dom Bruno suspeito mortes Dom Phillips Bruno Pereira suspeito passou os últimos dias em fuga suspeito percorreu mais de 8 mil quilômetros suspeito percorreu mais de 8 mil quilômetros em fuga suspeito procurou policiais na Praça de Sé suspeito se entregou praça da Sé suspeito se mudou para Atalaia do Norte depois de ter sido ameaçado por traficantes The Guardian União dos Povos Indígenas do Vale do Javari Univaja Univaja diz ter encontrado possível vestígio de embarcação no Amazonas Univaja significado Vale do Javari velado versão suspeito considerada verossímil Polícia Civil Vlae do Javari ]suspeito confessou participação em homicídios