Agronegócio

Contratações da citricultura crescem 15% e demissões caem 3% de janeiro a outubro

Brasília, 3 – As contratações formais na citricultura cresceram 15% entre janeiro e outubro de 2019, em relação a igual período do ano passado. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) compilados pela Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR), as admissões somam 44.636 no período, ante 38.808 vagas abertas em igual intervalo de dez meses de 2018.

As demissões no setor foram 3% menores na mesma base de comparação, de 38.764 para 37.603. De acordo com o Caged, no País todo foram geradas 841.589 vagas formais no período. Portanto, a citricultura foi responsável por 5,3% do total gerado.

No Brasil, a safra da laranja começa em julho e termina em junho do outro ano, mas o pico ocorre na primeira metade das safras. Junho foi o período em que mais trabalhadores foram contratados, com 10.011 pessoas.

Os municípios que mais geraram vagas de trabalho na citricultura de janeiro até outubro foram Bebedouro, com 3.447 contratações, Mogi Guaçu, com 3.099 admissões e Colômbia, com 2.726 vagas, todos no Estado de São Paulo. Em quarto lugar está o município de Comendador Gomes, em Minas Gerais, com 2.623 contratações.

Veja também

+ Quarta parcela do auxílio sai hoje (14) para os nascidos em agosto

+ Cunhado de Maradona morre de Covid-19 na Argentina

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?