Giro

Contra tráfico humano, projeto ‘Voo Livre’ da PF treinará funcionários de aéreas

Em comemoração ao Dia Mundial e Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, a Polícia Federal lança nesta quinta-feira, 29, o projeto Voo Livre, para intensificar o combate aos crimes contra os Direitos Humanos por meio de parcerias ‘estratégicas’ na luta contra o tráfico de pessoas.

De acordo com a corporação, o projeto visa fornecer informações a funcionários de empresas aéreas, de modo que estes possam identificar, suspeitar e melhor encaminhar as situações de possível crime de tráfico de pessoas para a investigação policial.

“Por meio de webnários e treinamentos, com a participação de policias federais especialistas no assunto e os recursos humanos das empresas aéreas, será ensinado, por exemplo, como desconfiar se uma pessoa está sendo vítima do crime durante o check in, no embarque, a bordo das aeronaves e no desembarque”, explicou a PF em nota.

A primeira empresa aérea a passar pelo treinamento será a LATAM, que já conta com uma política interna de assistência às vítimas de tráfico fornecendo passagens aéreas aos resgatados que não possuem condições de voltar para casa.



No Brasil, a cada três dias, uma pessoa é presa pela Polícia Federal por crimes contra os Direitos Humanos. A cada 2,5 dias, uma vítima desses crimes é resgatada, diz a corporação.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago