Giro

Contágio é mais longo se criança é assintomática

Crianças infectadas podem transmitir o novo coronavírus mesmo que nunca tenham apresentado sintomas ou algum tempo depois de eles terem desaparecido. É o que sugere um estudo publicado na sexta-feira pela revista científica Jama Pediatrics.

A investigação avaliou 91 crianças em hospitais da Coreia do Sul e constatou também que a duração dos sintomas, quando ocorrem, “variou amplamente”, de três dias a quase três semanas. Estudo anterior havia apontado que crianças têm alta carga viral e podem ser mais infecciosas do que adultos.

Houve ainda uma diferença considerável quanto ao tempo pelo qual as crianças continuam transmitindo o vírus, indica, na revista, um comunicado do Children’s National Hospital, de Washington. Enquanto o vírus foi detectado em uma média de cerca de duas semanas e meia em todo o grupo, um quinto dos assintomáticos e metade dos sintomáticos transmitiram por quase três semanas.

O trabalho foi realizado entre fevereiro e março, com menores de 19 anos, em 22 hospitais. Por volta de 22% dos pacientes nunca desenvolveram sintomas, e 58% foram sintomáticos já no teste inicial. (Com agências internacionais)



As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel