Giro

Conselho de Segurança da ONU discute confrontos em Nagorno Karabakh

Conselho de Segurança da ONU discute confrontos em Nagorno Karabakh

Soldado armênio no front com o Azerbaijão no conflito que deixou mais de 700 mortos - AFP

Os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas chamaram a Armênia e o Azerbaijão a respeitarem o novo cessar-fogo decretado em Nagorno Karabakh, durante uma reunião celebrada nesta segunda-feira (19) para tratar da tensa situação na região.

Em sua sede em Nova York, o Conselho manteve discussões a portas fechadas sobre o conflito que deixou centenas de mortos desde que os confrontos começaram, em 27 de setembro.

Durante a reunião, celebrada a pedido de França, Rússia e Estados Unidos, os 15 membros do Conselho reiteraram o pedido do secretário-geral da ONU, António Guterres, para que as partes respeitem o novo cessar-fogo.

“Todo mundo dizia a mesma coisa: a situação é ruim e ambos os lados precisam recuar e atender os chamados do secretário-geral para um cessar-fogo”, disse um diplomata à AFP.

A Rússia, que ocupa atualmente a presidência rotativa do Conselho, trabalha em um comunicado para chamar à adesão ao novo cessar-fogo, afirmaram diplomatas.

O texto – que se espera que seja acordado entre os membros do Conselho esta semana – também pedirá à Armênia e ao Azerbaijão para retomar as negociações auspociadas pelo Grupo de Minsk, integrado por Rússia, França e Estados Unidos, e que foi criado pela Organização para a Segurança e a Cooperação em 1992 para encontrar uma solução para o conflito territorial.

Nagorno Karabakh é uma região separatista do Azerbaijão, habitada principalmente por armênios, e apoiada por este país.

A Armênia e o Azerbaijão, duas ex-repúblicas soviéticas localizadas no Cáucaso, se enfrentam esporadicamente neste território desde o colapso da União Soviética.

Separatistas de etnia armênia tomaram Nagorno Karabakh de Baku durante uma guerra que matou 30.000 pessoas nos anos 1990.

Nesta disputa, que se estende por décadas, o enfrentamento atual é o mais grave desde 2016.

Tentava-se conservar o novo cessar-fogo, apoiado por mediadores internacionais, ao mesmo tempo em que as duas partes se acusam mutuamente de novos ataques.

Este segundo acordo chegou após a trégua negociada com a mediação de Moscou no começo do mês, mas que nunca deu sinais de ser respeitada.

Updh/to/rs/yow/mvv

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?