Newsletter

Conheça as empresas que mais avançam para aumentar a presença de negros

Crédito: Olia Danilevich/Pexels

Apenas 15,8% dos cargos de gerência e supervisão são ocupados por negros no Brasil e a taxa despenca para 4,1% na alta direção. Índice de Equidade Racial Empresarial destaca companhias engajadas com a inclusão étnico-racial (Crédito: Olia Danilevich/Pexels)

Na jornada por boas práticas ESG, a governança de dados é uma condição essencial para o avanço e sucesso das transformações sociais. Coletar e analisar dados permite compreender a sociedade e traçar estratégias para melhorar seu impacto no planeta. Responsabilidade socioambiental carece de governança. Nesse cenário, empresas que já enxergam a urgente necessidade de promover a inclusão étnico-racial em seus quadros acabam de ganhar mais argumentos para fortalecer suas estratégias. A participação de negros nas empresas brasileiras, que é de apenas 29,6%, cai para 15,8% nos cargos de gerência e supervisão. Na alta direção, o que inclui Conselhos de Administração, a taxa despenca para 4,1%. Os dados fazem parte do Índice de Equidade Racial Empresarial (EIRE-2021) divulgado pela Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial.



+ O desafio da inclusão dos talentos negros nas empresas

Mas há luz no fim do túnel. “Mesmo que o cenário da inclusão ainda seja desafiador, cresce a preocupação do setor privado em adotar medidas para reverter esse erro histórico”, afirmou Raphael Vicente, coordenador da Iniciativa. São esses bons exemplos de engajamento na causa étnico-racial que a instituição reconheceu na quinta-feira (19) durante o Fórum Internacional pela Equidade, ao conferir o título de Empresas Destaque para cinco marcas. São elas: Vivo, EY, PWC, BASF e Corteva Agriscience do Brasil.

Seis critérios foram avaliados no processo de reconhecimento: Censo de Funcionários — governança dos dados do quadro de colaboradores; Conscientização – ações para educar funcionários e mercado sobre a agenda; Recrutamento e Seleção — métodos para atrair profissionais negros; Capacitação — preparação do talento; Ascensão — políticas para a promoção dos profissionais negros; e Publicidade e Engajamento — medidas para envolver a cadeia de valor na adoção das boas práticas. A classificação geral é a soma do desempenho em cada um dos seis pilares que trazem também seus destaques:

Recenseamento Empresarial: GPA, Bayer, Schneider Eletric Brasil, Vivo e Unilever.



Conscientização: Vivo, PWC, Corteva Agriscience, KPMG e Procter & Gamble.

Recrutamento: ​​Banco Bradesco, Corteva Agriscience, Procter & Gamble, Ambev, RX, PWC, EY e BASF.

Capacitação: Banco Bradesco, Corteva Agriscience, KPMG, Procter & Gamble e VIVO.

Ascensão: VIVO, EY, Santander, Corteva Agriscience e PWC.

Publicidade e Engajamento: Unilever, Ambev, BASF, Banco Bradesco e VIVO.

 


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?