Mundo

Congresso dos EUA fecha acordo para votar teto de endividamento

Crédito: AFP/Arquivos

Este limite de emissão de dívida é o montante máximo a que o país pode se endividar (Crédito: AFP/Arquivos)

Democratas e republicanos alcançaram um acordo para permitir uma votação no Congresso que possibilite aumentar o teto de endividamento dos Estados Unidos e assim evitar um calote da maior economia mundial.

Este limite de emissão de dívida é o montante máximo a que o país pode se endividar. Estabelecido pelo Congresso, deve ser elevado ou suspenso pelo Legislativo em 15 de dezembro para evitar uma moratória.



Esta situação sem precedentes levaria a economia mundial a um terreno desconhecido e poderia provocar uma recessão.

+EUA devem anunciar ajuda de US$700 mi para setor de biocombustível, dizem fontes

Depois de semanas de negociações, os republicanos deram finalmente seu aval nesta terça-feira (7) a um procedimento parlamentar complexo, que permitirá aos democratas votarem este teto da dívida e suspendê-lo ou elevá-lo apenas com seus votos.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!


“Penso que é importante para o país” evitar um default, informou nesta terça o poderoso líder republicano no Senado, Mitch McConnell.

Este procedimento deve ser validado pela Câmara de Representantes na terça à noite e isso permitiria ao Congresso solucionar o assunto antes de 15 de dezembro.


A situação precisa encerrar este tema para debater o gigantesco plano socioambiental do presidente Joe Biden de 1,75 trilhão de dólares, muito popular entre os americanos, segundo pesquisas de opinião.