Economia

Confiança empresarial inicia 2021 em queda de 2,7%, diz FecomercioSP

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) teve uma queda de 2,7% neste mês em comparação a dezembro de 2020, ficando nos 98,2 pontos, abaixo do patamar das centenas atingido em outubro.

A confiança do empresariado paulista apresentou queda mesmo com o início do plano de vacinação e um cenário de recuperação da economia no Estado.

No mesmo período de 2020, o Icec atingiu 123,2 pontos, 20,3% maior do que a taxa atual. Um dos fatores apontados pela queda é a retração de 2,6% no Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (Icaec), que questiona os empresários sobre as condições momentâneas dos seus negócios e do ambiente econômico.

O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (Ieec), que é responsável por mensurar os prognósticos do setor para o futuro, também teve queda neste mês, com retração de 5,1%, passando de 144 pontos em dezembro para 136,7 agora.



A FecomercioSP aponta a retração no setor comercial como um dos motivos para as expectativas mais baixas dos empresários. O Índice de Expansão do Comércio (IEC) voltou a ficar abaixo dos cem pontos em janeiro, fechando o mês com 98,8 pontos, queda de 2,7% em comparação a dezembro. O indicador vinha crescendo consecutivamente desde junho e teve alta de 10% com as expectativas de vendas entre a Black Friday e o Natal. Em comparação a janeiro do último ano, o índice cedeu 12,9%.

Ambos os indicadores que compõem o IEC, o de Expectativas para Contratação de Funcionários e o de Nível de Investimento das Empresas, tiveram queda de 5,1% e 0,2%, respectivamente. Este último registrou uma retração acentuada de 24,8% em comparação ao mesmo período em 2020.

A FecomercioSP recomenda que os empresários sejam cautelosos em meio a pandemia. A federação defende que os comerciantes devem aproveitar os primeiros meses do ano, que costumam ser mais fracos, para planejar e analisar as compras, vendas e a movimentação dos estoques, a fim de evitar endividamentos e entraves nos fluxos de caixa.

As recomendações da FecomercioSP para atrair consumidores incluem a promoção de liquidações sobre produtos parados nos estoques, venda cruzada (quando a compra de uma mercadoria se relaciona a de outra), planos de descontos ou a diminuição planejada de preços.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel