Edição nº 1109 22.02 Ver ediçõs anteriores

Compra positiva

A plataforma de consumo consciente Welight, que permite doações em compras realizadas via e-commerce, superou os R$ 150 mil em contribuições a ONGs e projetos sociais. Idealizada em outubro de 2016, a plataforma funciona por meio de um plugin para navegadores de internet e, desde agosto, por aplicativo móvel. A cada compra em uma das lojas cadastradas, o consumidor pode reverter entre 1% e 15% do valor gasto para o Welight. Esse valor é repassado integralmente a ONGs como Ampara Animal, TETO, Cidades Sem Fome, Instituto Ethos e Observatório de Favelas. Atualmente, lojas virtuais como Amazon, Netshoes e Submarino fazem parte do portfólio de 1,2 mil parceiros da Welight.

(Nota publicada na Edição 1091 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Barragens como a de Brumadinho serão desativadas até 2023

Foram necessárias três tragédias, com número crescente de mortos, para que o governo federal decidisse enfim tomar providências. Os [...]

Leilão que muda vidas na África

A Dimension Data, patrocinadora oficial de tecnologia da competição de ciclismo Tour de France, realizou um leilão virtual para a venda [...]

O ministro do Meio Ambiente me bloqueou…

Quem nunca excluiu uma amiga ou um amigo das redes sociais que atire a primeira pedra. Geralmente, isso acontece depois de alguma [...]

Um aliado itinerante no combate à hanseníase

A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença crônica e transmissível, mas curável. Ela causa, sobretudo, lesões de pele [...]

É feio, mas é gostoso

Se você está acostumado a perder longos minutos em busca da fruta ou da verdura ideal para colocar no carrinho de compras, essa [...]
Ver mais
X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.