Giro

Como seria a Terra se humanos nunca tivessem existido?

Crédito: Reprodução/Pixabay

A superfície do planeta seria muito mais aberta, uma vez que grandes animais andariam por aí derrubando árvores e vegetação. (Crédito: Reprodução/Pixabay)



Plástico e ossos de frango. Essas são duas das maiores evidências da profunda atividade humana no planeta que não estariam por aqui se humanos nunca tivessem existido. Enquanto pesquisadores encontram sacolas plásticas e outros resíduos até mesmo nos locais mais profundos da Terra, como a Fossa das Marianas, estimativas apontam que existem 23 bilhões de galinhas em cativeiro no planeta.

Estes são dois pequenos – mas muito significativos – exemplos de como a espécie humana vem modificando a biosfera nos últimos milhares de anos. Contudo, como seria o planeta agora se nossos ancestrais primatas nunca tivessem evoluído e eventualmente dado origem ao Homo sapiens?

+ Asteroide descoberto há um ano não atingirá a Terra, diz estudo

Bom, a savana africana poderia ser o tipo de ambiente mais comum na Terra. A diferença é que a biodiversidade de mamíferos seria extremamente maior, como mostram pesquisas recentes (PNAS, Diversity and Distributions).




 

Isso porque a espécie humana foi a responsável pela extinção da maior parte da megafauna que habitava o planeta na última Era do Gelo. Só na América do Norte, 38 gêneros de grandes animais se extinguiram ao fim do último período glacial.

Ou seja, a superfície do planeta seria muito mais aberta, uma vez que grandes animais andariam por aí derrubando árvores e vegetação. Ademais, dentes-de-sabre e leões norte-americanos poderiam ainda estar caçando em planícies da Europa, África e mesmo das Américas, onde não há leões atualmente.


 

Mamutes e grandes ancestrais dos elefantes também estariam, provavelmente, ainda por aqui. Apesar de pesquisas mostrarem que a mudança climática (não aquela causada por humanos) ter extinguido os mamutes, pesquisadores ainda afirmam que nós tivemos um papel importante na redução da população destes elefantes peludos.

 

Preguiças gigantes, crocodilos enormes e tatus do tamanho de pequenos bois também estariam andando pelas Américas até hoje. Se humanos nunca tivessem existido, a poluição dos oceanos também seria praticamente nula, e os mares seriam provavelmente o hábitat mais diverso da Terra.

Outra forma de pensar sobre o impacto dos humanos no planeta é imaginar como seria o planeta daqui para frente se nós simplesmente sumíssemos da face da Terra.

Se humanos nunca tivessem existido ou se fossem extintos agora, um alívio evidente para o planeta seria a redução de carbono na atmosfera. É provável que o planeta e os próprios organismos daqui levassem mais de 60 mil anos para retirar todo o carbono que os H. sapiens produziram da atmosfera.

 

Uma das grandes implicações de um mundo sem a espécie e humana, portanto, é a redução significativa do efeito estufa. Isso certamente privilegiaria um planeta mais frio e com ciclos climáticos menos variáveis a curto prazo. Uma próxima era do gelo poderia até mesmo acontecer muito mais cedo do que se espera.