Agronegócio

Commerzbank: cotação do cacau cai com temor de menor demanda por coronavírus

São Paulo, 6 – O cacau não está imune aos efeitos do coronavírus, de acordo com avaliação do banco alemão Commerzbank. Em relatório, analistas afirmam que a queda nos preços da commodity no mercado internacional pode estar sendo influenciada pelo temor de que a epidemia afete a demanda na Europa, região responsável por cerca de 35% do consumo global. Além do surto da doença, o aumento dos preços do cacau para os consumidores finais também pode pesar sobre a demanda.

De acordo com o banco, no início da semana, um grande produtor de chocolates anunciou que o custo adicional de US$ 400 por tonelada cobrado sobre o produto da Costa do Marfim e de Gana, a partir de outubro, será embutido no valor do chocolate.

Os países africanos são os dois maiores produtores de cacau do mundo, representando juntos cerca de 60% do suprimento mundial. Nesse caso, o Commerzbank acredita que a substituição por fornecedores alternativos não é a melhor opção, principalmente porque o aumento do consumo no Equador, Camarões, Nigéria ou Indonésia também deve impulsionar os preços.

O mercado tem expectativa de pequeno déficit na oferta global da commodity na safra atual. No entanto, se a demanda for enfraquecida de fato, o déficit pode se transformar em um superávit, apontam analistas do Commerzbank.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança