Economia

Combustíveis pesam e IGP-10 acelera alta para 2,48% em abril, diz FGV

Crédito: REUTERS/Pilar Olivares

Carro é abastecido em posto no Rio de Janeiro (Crédito: REUTERS/Pilar Olivares)



Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – Os preços de combustíveis aceleraram e a alta do Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) disparou a 2,48% em abril, de 1,18% em março, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, chamando a atenção para os níveis elevados de disseminação das pressões inflacionárias.

O dado divulgado ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters, de alta de 2,20%, e levou o índice a acumular avanço de 15,65% em 12 meses.

Bolsonaro nomeia Victor Godoy Veiga como novo ministro da Educação



Em abril, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, acelerou a alta a 2,81%, de 1,44% no mês anterior.

“A contribuição dos combustíveis foi destacada para o avanço da taxa do IPA”, explicou em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

“No entanto, as pressões inflacionárias andam muito disseminadas e, mesmo excluindo a contribuição da gasolina (0,15% para 18,73%) e do diesel (0,24% para 24,90%) no IPA, a variação média do índice ao produtor ficaria em 1,81%, superando a variação apurada pelo IPA em março”, acrescentou.


O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, teve alta de 1,67%, também acelerando em relação à taxa de 0,47% registrada em março.

Entre os componentes do índice ao consumidor, o destaque ficou com o grupo Transportes, que saltou 3,42% em abril, depois de subir apenas 0,16% em março. A principal contribuição para esse movimento partiu da gasolina, que disparou 7,62% no período, ante queda de 1,18% vista no mês anterior.

Os preços domésticos dos combustíveis aumentaram acentuadamente desde o início da guerra na Ucrânia, na esteira dos ganhos nas cotações do petróleo no mercado internacional em meio a temores de restrição de oferta.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,17% no período, depois de avançar 0,34% em março.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência.

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI3H09F-BASEIMAGE






Tópicos

2 ata do copom 22 de março 2022 bancos projetam Selic BC projeção 2022 BC/COPOM/JUROS/DECISÃO como o BC pesquisa no grupo Focus como se mede a inflação semanal crescimento econômico Focus projeção 2022 de quem é a culpa pela inflação 2022 dólar projeção expectativa de crescimento BC 2021 expectativa de crescimento Brasil 2022 expectativa focus expectativas 2022 Banco Central focus projeção 2022 IGP-M acumulado IGP-M inflação aluguel IGP-M projeção 2021 IGP-M setembro IGP-M significado IGPM acumulado índice do aluguel setembro inflação 2021 projeções inflação 2022 causas inflação 2022 governo bolsonaro inflação 2022 política econômica inflação 2022 projeção inflação aluguel projeção 2021 inflação Brasil 2022 inflação combustíveis energia alimentos inflação FGV inflação Focus inflação IGP-10 novembro inflação IPC-s acumulado inflação IPC-s julho inflação Ipea inflação mercado inflação oficial 2022 inflação oficial fevereiro 2022 inflação oficial março 2022 inflação perdas plano real inflação preços controlados inflação projeção inflação relatório trimestral BC março 2022 inflação últimos 12 meses março 2022 IPC-S significado IPCA 12 meses 2022 IPCA INFLAÇÃO 2021 IPCA março 2022 ipca significado IPCA-15 2022 IPCA-15 março 2022 IPCA-15 recorde mercado projeção 2022 o que é grupo Focus O que é inflação e exemplos? o que é ipca? PIB projeção 2021 preços capitais semana prévia da inflação dezembro prévia da inflação IPCA-15 setembro Selic 14% Selic projeções 2022