Economia

Combustíveis e energia elétrica pressionam IPCA-15 de agosto, diz IBGE


Os combustíveis e a energia elétrica pressionam a inflação medida em agosto pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os preços dos combustíveis subiram 5,96% em agosto, a maior contribuição individual para a inflação de 0,35% registrada no mês, um impacto de 0,28 ponto porcentual.

A gasolina passou a custar 6,43% mais, enquanto o litro do etanol ficou 5,36% mais caro.

Como consequência, o grupo Transportes registrou a maior alta entre os nove que integram o IPCA-15, com avanço de 1,35% em agosto, um impacto de 0,24 ponto porcentual sobre o IPCA-15. Houve pressão ainda do reajuste nas passagens dos ônibus intermunicipais da região metropolitana de Belém (6,63%).

Os aumentos nos gastos com combustíveis e ônibus, porém, foram parcialmente amenizados no grupo Transportes pela contribuição negativa das passagens aéreas, que recuaram 15,00% em agosto.

No grupo Habitação, os preços aumentaram 1,01% em agosto, o equivalente a um impacto de 0,15 ponto porcentual no IPCA-15. O destaque foi a alta de 4,27% na energia elétrica, sob influência da entrada em vigor da bandeira tarifária vermelha, a partir de 1º de agosto, com a cobrança adicional de R$ 0,03 a cada quilowatt-hora (kWh) consumido.

Também houve reajuste de 5,15%, vigente desde 4 de julho, em uma das concessionárias de São Paulo (6,92%), e aumento de 6,87% em Belém (6,42%), em vigor desde 7 de agosto.