Economia

Com forte alta de energia elétrica, Habitação sobe 2,88% no IPCA de dezembro

A conta de luz pesou no orçamento das famílias em dezembro. Os gastos com Habitação subiram 2,88%, o maior impacto de grupo sobre a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), uma contribuição de 0,45 ponto porcentual, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A energia elétrica subiu 9,34%, item de maior pressão sobre a inflação do mês, 0,40 ponto porcentual.

O IBGE lembra que, após 10 meses consecutivos de vigência da bandeira tarifária verde, em que não há cobrança adicional na conta de luz, passou a vigorar em dezembro a bandeira vermelha patamar 2, com acréscimo de R$ 6,243 a cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Além disso, houve reajustes tarifários em Rio Branco (11,05%) e Porto Alegre (11,55%).



Também ficaram mais caros em dezembro a taxa de água e esgoto (0,10%), em consequência de reajustes em Vitória e Belo Horizonte, e o gás encanado (0,23%), puxado pela alta no Rio de Janeiro.

Os preços do gás de botijão subiram 1,99%, acumulando um avanço de 9,24% no ano de 2020.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel