Com enorme atraso, BC finalmente reduz juros básicos

Com enorme atraso, BC finalmente reduz juros básicos

Na semana passada, o Banco Central reduziu a Selic pela oitava vez consecutiva, de 3,00% para 2,25% ao ano

Olá, pessoal, tudo bem? Em março deste ano, quando o IBGE divulgou que havia 12,7 milhões de desempregados no Brasil, eu defendi o corte imediato da taxa de juros pelo Banco Central (BC). De lá para cá, a nova diretoria do BC, sob o comando do economista Roberto Campos Neto, ficou de braços cruzados à espera da aprovação da Reforma da Previdência. Foi um enorme erro.

Nesta quarta-feira 31, finalmente, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa básica de juros (Selic) de 6,5% para 6% ao ano, mesmo sem a aprovação da reforma em segundo turno, na Câmara. O Copom se rendeu àquilo que já me parecia óbvio no início do ano. O Brasil teria mais um Pibinho em 2019, que não ajudaria a melhorar o quadro de desemprego. Curiosamente, nesta quarta-feira 31, o IBGE atualizou os dados de desemprego e o Brasil tem, pasmem, 12,8 milhões de desocupados. Isso sem falar nos subutilizados (28,4 milhões) e nos desalentados (4,9 milhões), que desistiram de procurar emprego diante de um cenário tão ruim.

Os mais conservadores vão argumentar que o papel do BC não é o de olhar para o crescimento econômico, mas, sim, para a inflação. Correto. Mas com uma economia anêmica, a inflação tenderia a permanecer bem-comportada. Óbvio, não?

Não estou defendo o populismo econômico. Jamais defenderei reduções irresponsáveis dos juros. Mas, neste caso, o BC demorou demais. Em termos práticos, juros básicos menores em agosto só vão ter efeito na economia em 2020.

É verdade, também, que a política monetária (juros e depósitos compulsórios), sozinha, não será capaz de reanimar a atividade econômica. A missão maior está com a ampla agenda liberal a ser tocada pelo Ministério da Economia. Isso, no entanto, não isenta o BC de sua responsabilidade. Os juros básicos caíram com atraso e precisam continuar em queda nos próximos meses. Além disso, é função do BC criar as condições regulatórias para que os juros sejam reduzidos na ponta, tanto para consumidores quanto para empresários, mas isso é tema para outro artigo, em breve.

Veja também

+ Receita abre consulta a segundo lote de restituição de IR, o maior da história
+ Homem encontra chave de fenda em pacote de macarrão
+ Baleias dão show de saltos em ilhabela, veja fotos!
+ 9 alimentos que incham a barriga e você não fazia ideia
+ Modelo brasileira promete ficar nua se o Chelsea for campeão da Champions League
+ Cuide bem do seu motor, cuidando do óleo do motor
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança


Mais posts

A economia também mata!

Olá, pessoal! Tudo bem? Desde o começo da pandemia, eu tenho alertado para os efeitos econômicos do combate ao novo coronavírus. Sem, [...]

Declaração de Guedes sobre domésticas na Disney foi muito infeliz

Olá, pessoal! Tudo bem? Quem acompanha o meu trabalho sabe que eu elogio constantemente a agenda econômica do ministro Paulo Guedes. [...]

O que já podemos aprender com os riscos em 2020?

Olá, pessoal! Tudo bem? O mês de janeiro passou como num estalar de dedos, mas esse início de ano nos trouxe inúmeras lições [...]

2020 será o ano do crédito. Isso é bom?

Olá, pessoal! Tudo bem? No apagar das luzes de 2019, gostaria de escrever algumas linhas sobre 2020. Conforme tenho repetido em artigos [...]

O Brasil está crescendo quase o dobro. E pode avançar mais!

Olá, pessoal, tudo bem? Nos últimos dias, diversos indicadores econômicos vieram acima das expectativas dos analistas, sinalizando uma [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.