O teto em nome da responsabilidade

Uma revolução começa a tomar forma no Brasil para reconduzir o orçamento público de volta ao trilho da disciplina fiscal. A ideia do governo de congelar o crescimento real das despesas dos três poderes por um prazo renovável até que se alcance a estabilidade na relação dívida/PIB deve ser saudada como demonstração inequívoca de compromisso […]

Com o endosso do PIB

O presidente Michel Temer recebeu um aval importante na semana passada. O setor produtivo, através de mais de 200 representantes, rumou para Brasília e, numa demonstração pública de endosso ao governo, apontou que “tem total confiança no Brasil” em curso. A frase saiu do discurso do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, mas foi replicada em […]

A crise está passando. Finalmente

É tudo uma questão de como se enxerga o copo: meio cheio ou meio vazio. Saíram na semana novos e desastrosos números da maldita herança econômica deixada por Dilma Rousseff ao País. A boa notícia – se é que podemos chamar assim – está no fato de as estatísticas apontarem um arrefecimento da crise. Isto […]

Começa a economia da era Temer

No primeiro grande teste, o governo Temer passou. A aprovação da meta fiscal, revista para o teto de R$ 170 bilhões em déficit, que a gestão Dilma deixou irresponsavelmente de herança, foi assegurada pelo Congresso. Há provavelmente uma maior compreensão parlamentar sobre o difícil momento que o País atravessa. E existe também um certo aval […]

O passado que nos espera

O futuro é incerto e o acerto de contas do Brasil com o passado parece não ter fim. Governo após governo, os fantasmas sempre aparecem e teimam em sair dos armários do setor público quando muitos achavam que eles não existiam mais. O País que enterrara a hiperinflação sob FHC e comemorara a ascensão da “nova […]

O desastroso legado

A presidente afastada, Dilma Rousseff, deixa para o sucessor a mais maldita das heranças: uma economia crivada por rombos acintosos. Só nos chamados “esqueletos” – os gastos desconhecidos, ainda não contabilizados, como possíveis capitalizações de estatais – a conta pode superar os R$ 250 bilhões. Somadas as perdas na negociação das dívidas dos Estados e […]

A marcha da insensatez

Como ato de saída, numa demonstração aberta de que não guarda qualquer compromisso com a responsabilidade fiscal, Dilma Rousseff resolveu lançar o que chamou de “pacote de bondades” – um verdadeiro malote de gastos populistas sem respaldo financeiro que não deve vingar. É o triste fim de uma era que o Brasil espera ver varrida […]

A bomba relógio dos Estados

A eventual revisão da dívida dos Estados, que passaria a ser quitada com juros simples – a despeito da prática habitual entre todos os tomadores de empréstimos, no Brasil e no mundo – é uma daquelas aberrações capazes de estourar qualquer orçamento. Em se confirmando no STF a alternativa, o impacto será brutal. Algo da […]

Hora de mudança na economia

Não vai haver trégua. O prazo será curtíssimo. O desafio, enorme! A eventual troca no comando da economia, com a ascensão de Michel Temer à Presidência do País, terá de ser feita ao mesmo tempo em que reformas estruturais e ajustes inadiáveis demandarão aprovação imediata do Congresso, sob pena de levar o País ainda mais […]

Dilma gasta o que pode para atrair políticos

Saiu a conta preliminar da lambança que a presidente Dilma promoveu no orçamento nos últimos dias para agradar deputados que possam votar contra o impeachment. Numa primeira sentada, a compra de votos parlamentares deve custar algo em torno de R$ 6,6 bilhões. Esse é o total de recursos separado, por determinação da mandatária, para emendas […]


Sobre o autor

Carlos José Marques é diretor editorial da Editora Três e escreve semanalmente os editoriais da revista DINHEIRO

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.