Finanças

Cobre tenta se recuperar e sobe em Londres e Nova York

Os futuros de cobre operam em alta modesta em Londres e Nova York nesta manhã, buscando se recuperar depois de caírem na sessão anterior em reação a dados chineses fracos e incertezas sobre o andamento das negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Por volta das 8h45 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,26%, a US$ 6.412,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em maio avançava 0,16%, a US$ 2,8980 por libra-peso, às 9h06 (de Brasília).

O cobre acompanha a alta de outros ativos financeiros, como ações e petróleo, que também tentam se recuperar hoje após recuarem no fim da semana passada, na esteira de indicadores decepcionantes não apenas da China, mas também dos Estados Unidos.

Na manhã de sexta-feira (08), os EUA divulgaram número de criação de empregos muito abaixo das expectativas. Horas antes, a China havia revelado quedas nas exportações e importações bem mais acentuadas do que se previa.

Entre outros metais básicos na LME, não havia direção única. No horário indicado acima, a tonelada do alumínio recuava 0,11%, a US$ 1.863,00, a do zinco tinha alta de 1,14%, a US$ 2.749,50, a do estanho diminuía 0,09%, a US$ 21.350,00, a do níquel subia 0,04%, a US$ 13.085,00, e a do chumbo avançava 0,57%, a US$ 2.103,50 por tonelada. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tópicos

metais Mundo