Finanças

Cobre opera perto da estabilidade, com expectativa de mais tarifas no radar

O cobre opera sem impulso na manhã desta terça-feira, com o mercado à espera de novos sinais da disputa comercial entre Estados Unidos e China. O país asiático é o maior consumidor de metais para a indústria.

Às 7h55 (de Brasília), o cobre para três meses estava estável, a US$ 5.892,50 a tonelada, na London Metal Exchange (LME). Às 8h07, o cobre para dezembro subia 0,04%, a US$ 2,6290 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

“Os participantes do mercado estão à espera do anúncio de novas tarifas dos EUA contra as importações chinesas”, afirmaram analistas do Commerzbank em nota hoje. “Isso impede qualquer recuperação do que nós vemos como preços dos metais excessivamente baixos.”

Na semana passada, o presidente americano, Donald Trump, disse que poderia haver uma terceira rodada de tarifas, contra US$ 267 bilhões em importações chinesas. Os EUA já impuseram tarifa de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos da China e consideram adotar outras sobre mais US$ 200 bilhões em produtos do país.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco caía 0,78%, a US$ 2.344,50 a tonelada, o alumínio recuava 0,73%, a US$ 2.079,50 a tonelada, o estanho tinha alta de 0,42%, a US$ 19.060,00 a tonelada, o níquel subia 0,08%, a US$ 12.420,00 a tonelada, e o chumbo recuava 1,31%, a US$ 1.991,00 a tonelada. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tópicos

manhã metais Mundo